NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Autoeuropa prepara-se para ser a próxima empresa em Portugal a criar um Clube de Fornecedores, após a Bosch ter sido pioneira nacional desta iniciativa em 2017.

A multinacional já se encontra em negociações com a AICEP, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, e visa apostar no investimento interno, em parcerias com pequenas e médias empresas (PME) nacionais.

 

A aposta num Clube de Fornecedores visa promover a participação de empresas portuguesas, em especial as PME, em cadeias de valor internacionais, sendo que através destas multinacionais estas conseguem melhores condições de acesso a mercados, tecnologias e competências.

 

Este sistema de captação de negócio é um dos pilares do Programa Interface, e as empresas candidatas têm de cumprir alguns requisitos, como trabalhar em sectores com “procuras dinâmicas e inseridas em cadeias internacionais”; ter um volume de negócios anual de 75 milhões de euros (tendo em conta a média dos três últimos anos) e um volume de compras a fornecedores de componentes, materiais e matéria-prima superior a 30 milhões de euros; e apresentar uma intensidade exportadora superior a 50%.

 

A proposta também exige a apresentação de uma estratégia de desenvolvimento que dê particular importância à integração de fornecedores nacionais de componentes e matéria-prima, bem como um programa de parceria com os fornecedores.

 

“Com centralidade em empresas ‘nucleares’, pretende-se ganhar escala em actividades que tenham procura internacional dinâmica, empreguem recursos humanos qualificados e permitam a Portugal posicionar-se nas respectivas cadeias de valor de modo a poder ascender gradualmente nas mesmas”, explica o Governo em nota de apresentação.

 

Segundo avança o jornal ECO, Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização, afirma que a Aicep “está a fazer com a Autoeuropa o mesmo que fez com a Bosch”. Esta mesma fonte também já tinha avançado anteriormente o interesse da Embraer de criar um Clube de Fornecedores, mas conta que esta ainda se encontra a estudar o momento certo para apresentar a sua candidatura.

Partilhar