NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A empresa Águas do Alto Minho vai suportar, num “apoio” estimado em 510 mil euros, a isenção até maio das tarifas fixas pagas pelas atividades empresariais e comércio para minimizar o impacto da pandemia de covid-19.

Em comunicado hoje enviado às redações, a empresa de gestão de redes de água em baixa e saneamento, que agrega sete dos dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, adiantou que a medida “visa aliviar cerca de 10 mil empresas, assim como o comércio local e todas as atividades prestadoras de serviços, que têm sido visadas pelas medidas de contenção do Covid-19”.

 

Na nota, a empresa especifica que, “através da subsidiação dos sete municípios parceiros, irá isentar as tarifas fixas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais para utilizadores não-domésticos com contadores até 25 milímetros de diâmetro, tendo em conta a vulnerabilidade e da debilidade económica que está a afetar as empresas do Alto Minho na sequência da declaração de estado de emergência”.

 

“Esta isenção é aplicável aos consumos realizados em março, abril e maio de 2020 e incidirá igualmente nas tarifas fixas de resíduos sólidos”.

 

A Águas do Alto Minho é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

 

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca, Monção e Melgaço – reprovaram a constituição daquela parceria.

 

Formalizada em julho de 2019, a empresa começou a operar no dia 01 de janeiro, servindo 100 mil clientes com abastecimento de água, em baixa, e saneamento de águas residuais.

 

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20.000

 

Desde que surgiu na China, em dezembro de 2019, o surto já se espalhou por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

 

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

 

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Partilhar