NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O vinho tinto ‘Quinta Vale D. Maria Quinta da Francisca’, de 2016, produzido no Douro, foi o grande vencedor do ‘Concurso Vinhos de Portugal’ deste ano, como sempre organizado pela ViniPortugal.

A Quinta da Aveleda, com o ‘Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca 2016’ recebeu o galardão para o ‘Melhor Vinho do Ano’, um concurso da ViniPortugal, cujos resultados foram conhecidos ontem, dia 10 de maio, à noite, numa sessão realizada nas instalações do Terminal de Cruzeiros de Leixões.

 

Este vinho foi eleito no âmbito do ‘Concurso Vinhos de Portugal’, tendo os prémios deste ano distinguido vinhos das regiões da Bairrada, Douro, Dão, Alentejo e Península de Setúbal.

 

No entanto, foi no Douro que foi produzido ‘O Melhor do Ano, o mencionado ‘Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca (2016).

 

“Ano após ano temos sido capazes de fazer crescer o ‘Concurso Vinhos de Portugal’ nas suas diferentes dimensões, nomeadamente no número de vinhos inscritos, bem como a presença de mais especialistas internacionais, que acederam ao convite para vir conhecer a nossa realidade vitivinícola”, sublinha Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal, fazendo um balanço positivo da edição 2019 do ‘Concurso Vinhos de Portugal’.

 

Segundo este responsável, “mais do que uma competição, o ‘Concurso Vinhos de Portugal’ é uma semana dedicada à celebração da qualidade dos vinhos portugueses”, além de ser “um momento importante para os agentes económicos envolvidos na fileira do vinho e um óptimo veículo de promoção dos vinhos de Portugal junto de especialistas internacionais, que vão regressar aos seus países de origem com muito mais conhecimento da qualidade dos nossos vinhos graças ao programa paralelo da iniciativa, que inclui jantares vínicos, visitas a produtores e ‘masterclasses’”.

 

Além deste vinho da Aveleda, foram também premiados o ‘Alambre Moscatel de Setúbal 20 anos’ como ‘O Melhor do Ano Licoroso’, produzido pela Península de Setúbal pela José Maria da Fonseca.

 

Já o prémio de ‘O Melhor do Ano Varietal Tinto’ foi atribuído ao ‘Grande Rocim 2015’, produzido no Alentejo, pela Rocim Agroindústria, Lda.

 

‘O Melhor do Ano Varietal Branco’ foi o ‘Villa Oliveira Encruzado, de 2016, produzido no Dão pela empresa O Abrigo da Passarela, Lda.

 

Por sua vez, o prémio de ‘O Melhor do Ano Vinho Tinto’ foi para o referido ‘Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca, de 2016, produzido pela Aveleda, no Douro.

 

‘O Melhor do Ano Vinho Branco” foi entregue ao ‘Quinta Pedra Escrita Reserva Bio’, de 2017, produzido no Douro pela empresa Rui Roboredo Madeira, Vinhos, S.A..

 

Por fim, o ‘O Melhor do Ano Espumante’ foi ganho pelo ‘Luiz Costa Pinot Noir & Chardonnay’, de 2015, oriundo da Bairrada, da responsabilidade das Caves São João, Lda.

 

Após a avaliação de 1.382 vinhos por especialistas nacionais e internacionais, o júri atribuiu um total de 423 medalhas, das quais 29 na categoria ‘Grande Ouro’, 98 de ‘Ouro’ e 296 de ‘Prata’.

 

“O Douro foi a região que recebeu mais medalhas ‘Grande Ouro’ do júri, recolhendo 11 medalhas, seguindo-se a região do Alentejo, com sete medalhas, e Dão, com quatro medalhas”, revela um comunicado da ViniPortugal, acrescentando que a sessão contou com a presença do presidente do Conselho Directivo do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), Bernardo Gouvêa.

 

À semelhança das edições anteriores, o ‘Concurso Vinhos de Portugal 2019’ teve uma primeira fase, realizada no CNEMA, em Santarém, na qual cada vinho foi apreciado em prova cega por um júri composto por especialistas em vinhos, nacionais e internacionais, entre enólogos, jornalistas, ‘sommeliers’ e outras entidades ligadas ao vinho.

 

“Com base nas escolhas feitas na 1.ª fase do Concurso, o ‘Grande Júri’, composto por Dirceu Vianna Júnior (MW), do Reino Unido, Evan Goldstein (MS), dos EUA, Thomas Vartelaus, da Suíça, Bento Amaral e Luís Lopes, presidente do concurso, escolheu os grandes vencedores do ‘Concurso Vinhos de Portugal’, atribuindo as medalhas ‘Grande Ouro’ e os ‘Melhores do Ano'”, esclarece um comunicado da ViniPortugal.

 

De acordo com esse documento, “a participação no ‘Concurso Vinhos de Portugal’ constitui uma plataforma para a promoção internacional dos produtores portugueses”, estando assegurado que “os vinhos distinguidos com as ‘Medalhas Grande Ouro e Ouro’ no ‘Concurso Vinhos de Portugal’ terão presença garantida em eventos internacionais de excelência a realizar em 2019”.

O evento realizado ontem pela ViniPortugal serviu também reconhecer personalidades internacionais pelo contributo dado nas exportações dos vinhos portugueses.

 

Na 1.ª edição do prémio ‘Personalidade do Ano’, instituído em 2019 pela ViniPortugal, foram distinguidos Charles Metcalfe (Europa), Sebastião Vemba (África), Mark Squires (Américas) e Takenori Beppu (Ásia).

 

“A criação do Prémio ‘Personalidade do Ano’ resulta do reconhecimento do papel desempenhado por um conjunto alargado de profissionais, influenciadores e prescritores na promoção da marca ‘Wines of Portugal’ nos diferentes mercados internacionais onde atua”, destaca o comunicado da ViniPortugal.

 

“O esforço de promoção dos ‘Vinhos de Portugal’ nos mercados internacionais é um trabalho coletivo que, para alcançar sucesso, necessita de ter continuidade do lado de quem nesses mercados fala, escreve, avalia, promove ou vende os nossos vinhos nos diferentes mercados. Felizmente que hoje são muito e bons aqueles que diariamente trabalham na promoção dos nossos vinhos e na valorização das nossas exportações. Reconhecendo a importância, a ViniPortugal decidiu, a partir de 2019, homenagear de forma simbólica uma figura em cada um dos quatro continentes/mercados onde a marca “Vinhos de Portugal” está presente: Américas, Africa, Ásia e Europa”, afirma Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal.

 

Segundo o referido comunicado, este prémio contou com um conjunto de fases, “num processo colaborativo com os diferentes intervenientes na fileira do vinho nacional”.

 

“Numa primeira fase, a ViniPortugal, em colaboração com as instituições sectoriais, como as CVR [Comissões Vitivinícolas Regionais] e as associações, desenvolveram o processo de selecção de personalidades elegíveis em cada um dos continentes abrangidos. A votação final esteve a cargo das empresas do sector vitivinícola através da plataforma digital da ViniPortugal”, esclarece o referido comunicado.

 

A ViniPortugal é a associação interprofissional para a promoção internacional dos vinhos de Portugal e tem como missão promover a imagem de Portugal enquanto produtor de vinhos por excelência, valorizando a marca “Vinhos de Portugal/Wines of Portugal” e contribuindo para um crescimento sustentado do volume e do preço médio dos vinhos portugueses.

 

São associados-fundadores da ViniPortugal oito associações profissionais: ACIBEV, ANCEVE e AND (representação do comércio), CAP, FENADEGAS, FENAVI e FEVIPOR (em representação da produção) e ANDOVI (representação de regiões demarcadas).

Partilhar