NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As contas são de Jaime Andrez, o gestor do Compete 2020o maior programa de fundos europeus para a competitividade e internacionalização que é também o coordenador da rede dos sistemas de incentivos ao investimento empresarial de todo o Portugal 2020.

As contas são de Jaime Andrez, o gestor do Compete 2020o maior programa de fundos europeus para a competitividade e internacionalização que é também o coordenador da rede dos sistemas de incentivos ao investimento empresarial de todo o Portugal 2020. "Os incentivos concedidos às empresas no âmbito do atual quadro comunitário representarão mais 50% a 55% face ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN)", diz em entrevista ao Expresso.


Entre empréstimos sem juros e subsídios a fundo perdido, o montante de incentivos europeus injetado nas empresas de norte a sul do país deverá totalizar cerca de €4,9 mil milhões no atual ciclo de investimentos 2014/2020 (Portugal 2020). Por comparação, no anterior ciclo de investimentos 2007/2013 (QREN) o montante de incentivos injetado nas empresas ficou- -se pelos €3,2 mil milhões.


"A verdade é que nunca houve tantos fundos europeus para as empresas como neste quadro comunitário. Até no PEDIP foi menos", diz Jaime Andrez, lembrando o histórico envelope de fundos comunitários alocado ao Programa Específico de Desenvolvimento da Indústria Portuguesa (PEDIP) após a adesão do país à Comunidade Económica Europeia (CEE).
"A dotação inicial dos sistemas de incentivos às empresas do Portugal 2020 era de €4,2 mil milhões, mas agora contamos atingir cerca de €4,9 mil milhões até ao final deste quadro. Só esta última leva de concursos que lançámos entre 24 de janeiro e 5 de fevereiro de 2020 envolve cerca de um décimo de todos os incentivos que contamos conceder às empresas durante todo o Portugal 2020", assinala o gestor.


A rede dos sistemas de incentivos ao investimento empresarial do Portugal 2020 envolve não só os fundos do Compete 2020 mas também dos cinco programas regionais do continente (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve). Esta rede inclui ainda os organismos públicos que acompanham as candidaturas dos empresários aos fundos europeus, caso da Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), da Agência Nacional de Inovação (ANI) ou do Turismo de Portugal.

 

Consulte o artigo.

 

Partilhar