NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os valores atingidos pelo setor na frente externa no ano passado aproximaram-se dos 1.600 milhões de euros de exportações, um crescimento de 105% face a 2010, quando foi criada a Portugal Fresh.

As estimativas da Portugal Fresh para 2019 indicam que as exportações nacionais deverão ultrapassar os 1.600 milhões de euros, um crescimento de 105% face aos valores de 2010, ano em que ainda não existia uma estratégia de promoção conjunta e as vendas para os mercados externos valiam 780 milhões de euros.

 

Estes números foram avançados hoje, dia 5 de fevereiro, pela Portugal Fresh durante a ‘Fruit Logistica’, que decorre em Berlim até sexta-feira e conta com a participação de 32 empresas e organizações portuguesas – uma iniciativa incluída no projeto de internacionalização promovido pela associação.

 

A ‘Fruit Logistica’ é a maior feira de frutas e legumes do mundo, com 78 mil visitantes profissionais de 140 países.

Recorde-se que a Portugal Fresh foi criada em 2010.

 

“Desde a criação da Portugal Fresh – Associação para a Promoção de Frutas, Legumes e Flores de Portugal que as vendas nos mercados internacionais não pararam de crescer”, destaca um comunicado da instituição.

 

A presença portuguesa na ‘Frui Logistica’ foi acompanhada pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, que se deslocou a Berlim para visitar as empresas.

 

Marcaram também presença neste evento o embaixador de Portugal na Alemanha, Francisco Ribeiro de Menezes; o presidente da Aicep, Luís Castro Henriques; e o presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa.

 

Durante o evento foram ainda divulgadas as exportações portuguesas para o Lidl, fruto de uma parceria com a Portugal Fresh iniciada em 2014.

 

“Foi na Fruit Logistica em Berlim que a associação deu os primeiros passos na estratégia de promoção internacional, em fevereiro de 2011. Até essa data, a participação das empresas era individual e, por isso, mais exigente ao nível do investimento”, relembra o referido comunicado.

 

Gonçalo Santos de Andrade, presidente da Portugal Fresh afirma que “a evolução tem sido assinalável”.

 

“Na primeira presença conjunta, em 2011, debaixo do chapéu da Portugal Fresh, 23 empresas contribuíram decisivamente para esta estratégia conjunta de promoção dos produtos do sector, garantindo a Portugal uma notoriedade e visibilidade nunca antes alcançadas. Na décima presença conjunta consecutiva, na maior feira de frutas e legumes do mundo, os bons resultados nas exportações demonstram que a concentração da oferta, a criação de escala e a união de esforços na promoção internacional permite mostrar de uma forma mais assertiva e eficaz a capacidade produtiva do nosso país. Há um reconhecimento alargado dos principais clientes mundiais, de diferentes geografias, que os nossos produtos têm características diferenciadoras, a nível da cor, sabor e aroma, e que os exportadores portugueses garantem produtos de elevada qualidade e segurança alimentar com um serviço muito profissional”, defende estes responsável.

 

“Só este ano temos previsto um investimento em promoção externa na ordem dos 800 mil euros”, precisa Gonçalo Santos de Andrade.

 

De acordo com os dados recolhidos pela Portugal Fresh, “tal como em 2010, Espanha continua a ser o principal cliente das frutas, legumes e flores nacionais”.

 

“Em 2019, entre janeiro e novembro, as exportações para o país vizinho atingiram os 447 milhões de euros, mais 90% do que no mesmo período de 2010”, sublinho referido comunicado, acrescentando que, “já a Alemanha passou de sétimo em 2010, para quinto maior destino, de 26 milhões de euros para mais de 104 milhões neste período”.

 

“Este é um dos mercados prioritários para a Portugal Fresh, além de França, Holanda, Inglaterra, Polónia, Bélgica, Brasil ou Itália”, assume o comunicado da Portugal Fresh.

 

O ‘top ten’ das exportações nacionais deste setor no período entre janeiro e novembro do ano passado foi liderado pela Espanha (447 milhões de euros de exportações), seguido da França (190 milhões), Países Baixos (142 milhões), Reino Unido (133 milhões), Alemanha (105 milhões), Bélgica (73 milhões), Polónia (61 milhões), Itália (50 milhões), Brasil (43 milhões) e Japão (29 milhões de euros).

 

Face a 2010, registaram-se poucas alterações neste ‘ranking’, sendo de salientar a saída de Angola, quer ocupava na altura a 6ª posição, com um total de 28 milhões de euros de exportações, e a entrada da Polónia, para o 7º posto, com exportações de 61 milhões de euros. Também o Reino Unido baixou da 2ª para a 4ª posição, embora as exportações para este país tenham subido de 87 para 133 milhões de euros.

 

A organização liderada por Gonçalo Santos de Andrade adianta que “países como a Índia, a Indonésia ou a China estão também no radar do setor, que tem organizado ações de promoção nestes mercados com o objetivo de abrir oportunidades de exportação”.

 

“A Portugal Fresh marca presença em vários certames nacionais e internacionais para promover as frutas, legumes e flores nacionais, como a ‘Fruit Attraction’, em Madrid; o ‘Fresh Produce India’ ou o ‘Asia Fruit Logistica’.

 

Os produtos mais vendidos por Portugal nos mercados externos são os frutos vermelhos, as peras e as laranjas.

Partilhar