NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Para a Altice se a Madeira conseguir assumir um papel de liderança, em termos do desenvolvimento de tecnologias para as 'smart cities', pode criar um cenário favorável para a sua economia e sustentabilidade.

A Altice quer continuar a sua aposta em tecnologias ligadas à area das 'smart cities' e a Madeira assume nesse particular um papel de relevo nessa estratégia. Para Alcino Lavrador, diretor-geral da empresa de telecomunicações, a região devido a características como a sua "vertente aberta e cosmopolita, fortemente dinamizada pelo turismo" tem ideais para o desenvolvimento de pro- jetos piloto em termos das 'smart cities'. O clima, a afabilidade e generosidade, a gastronomia, a vida cultural, e o dinamismo da universidade são outros fatores diferenciadores relativamente a outras regiões na atracção de talento.


"As Smart Cities são uma nova forma de olhar para as cidades ou para as regiões na vertente da transformação digital, usando tecnologia (mas não só) para melhorar a experiência dos moradores e visitantes, na sua interação diária com a cidade, sejam as suas instituições, infraestruturas ou mesmo, outros cidadãos que nela vivem ou visitam", sublinha Alcino Lavrador.


"Nesse sentido, a Madeira pode liderar o desenvolvimento de soluções para as Smart Cities se houver uma congregação de esforços nesse sentido", acrescenta o diretor- -geral da Altice.


Alcino Lavrador diz ainda que se a Madeira for capaz de assumir um papel de liderança no desenvolvimento das 'smart cities', pode estar a desenvolver um "enquadramento favorável" para a sua economia e sustentabilidade futura.


Tendo em conta a importância que as smart cities desempenham, a empresa assume que quer ter "um papel de relevo", nesta área de negócio, que está avaliada, em termos mundiais em 500 biliões de Euros em 2017, com uma expetativa de crescimento de 20% ao ano.


Nessa estratégia, explica Alcino Lavrador, inclui-se uma "conectividade inteligente", que alia à melhor rede, para ligar os milhões de dispositivos de comunicação e sensores, uma plataforma analítica de Big Data "capaz de criar visões transversais" com a interpretação de dados de diferentes origens.


"Esta plataforma apresenta um interface para acesso a este oceano de informação que vai potenciar o surgimento de 'startups' e novos negócios orientados para disponibilização de serviços que melhorem a qualidade de vida das pessoas e a eficiência das empresas", diz.


Alcino Lavrador refere que a Madeira ao ter uma universidade com boas referências na área das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) - Eletrónica, Comunicações e Informática -, a Al- tice Labs está a apostar no seu pólo da Madeira como um futuro pólo de competências na área do SmartLifeStyle, cobrindo aspetos de Smart Cities, Smart Mobillity, Smart Living e Smart Home.


"A Altice Portugal tem igualmente parceiros na Madeira na área das Tecnologias de Comunicação e Eletrónica que já desenvolvem soluções no âmbito do parqueamento inteligente, por exemplo, e que podem aumentar se surgirem soluções que possam ser comercializadas noutras regiões", sublinha o director-geral da empresa.


A Altice está a preparar um pro- jeto, em termos de Smart Mobi- lity, que conta com investimento de entidades como a Universidade da Madeira e a Horários do Funchal.


"Caso esse projeto venha a ter sucesso, acreditamos que se criará a massa crítica necessária para que se abram outras oportunidades. Será um primeiro passo para chamar outras empresas e entidades da Madeira a desenvolver novos projetos que em primeiro lugar solucionem problemas da região e que possam ser exportados", acrescenta.


A Altice Labs, com presença em cerca de 40 países, quer também fazer uso desta rede para as parcerias que possam vir a ser estabelecidas na Madeira.


"Igualmente nos programas destinados ao fomento da Investigação e Desenvolvimento da União Europeia, como é o caso do H2020 atual, participamos em mais de 15 projetos anualmente, e somos uma referência desde 1986 como a primeira entidade portuguesa a neles participar. E todo este networking que colocamos à disposição dos parceiros que connosco trabalharem, sejam startups ou negócios estabelecidos", adianta.


Alcino Lavrador reforça que a Madeira tem "necessidades específicas" na área dos transportes públicos e transportes partilhados a pedido, e "pode vir a funcionar" como um laboratório nesta área.


As Smart Solutions para o turismo, são no entender de Alcino Lavrador, "um domínio de excelência" da Madeira, e será "certamente uma das áreas a explorar" no futuro.


Outras áreas que a Madeira pode explorar, e que pode distinguir a região de outros pólos de desenvolvimento, incluem: desenvolvimento de soluções para previsão de cheias, derrocadas, descarboni- zação e todas as relacionadas com prevenção e mitigação dos efeitos das alterações climáticas.

"As smart cities são uma nova forma de olhar para as cidades ou para as regiões na vertente da transformação digital, usando tecnologia, mas não só, para melhorar a experiência dos moradores e visitantes".

Partilhar