NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Chauffeur Privé é uma das maiores empresas de mobilidade e transporte urbano em França - uma espécie de Uber gaulesa que constitui também a mais recente aposta de uma empresa originária daquele país em Portugal.

É apenas um dos últimos exemplos de uma cada vez mais longa série de investimentos diretos franceses em Portugal - que demonstram bem até que ponto o país ibérico passou repentinamente a estar na short list das opções de internacionalização dos empresários gauleses.

 

Segundo dados da Câmara de Comércio e Indústria Luso-francesa (CCILF), "a França é atualmente um dos primeiros investi
dores estrangeiros em Portugal: de facto, existem cerca de 750 empresas de capital francês instaladas no país, que faturam um volume de negócios de 9,5 mil milhões de euros e empregam cerca de 60 mil pessoas, em sectores tão variados como a química, o equipamento automóvel, o setor elétrico e eletrónico, o agro-alimentar, os moldes, a marroquinaria a cortiça e o têxtil", sem esquecer os vinhos - para onde, nos últimos anos, têm convergido uma série de interesses, nomeadamente no que diz respeito à região demarcada do Douro.


A Lauak; a aquisição da ANA, empresa responsável pela gestão dos aeroportos em Portugal, pelo grupo Vinci; a entrada da Altice no mercado português, através da aquisição da operação da antiga Portugal Telecom; a Mecachrome, os 150 milhões de euros a aplicar pela Renault em Cacia, são apenas alguns dos exemplos - porventura, os mais sonantes - que se encontram em território nacional de investimentos franceses.


O segundo maior investidor
No ano passado, a França foi o segundo maior investidor em Portugal, com 773,1 milhões de euros de investimento líquido, o que traduz um crescimento de 140% face a 2016, o valor mais elevado registado nos últimos cinco anos, segundo os dados da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal. Em valor bruto, o investimento direto de França em Portugal "ascendeu a perto de 6,7 mil milhões de euros no final de 2017, representando 5,6% do total captado por Portugal".
"A França é, tradicionalmente, um dos maiores investidores estrangeiros em Portugal. Trata-se de investimentos que têm vindo a implantar-se desde há décadas e com a característica de incidirem mais na área industrial e produtiva do que nos serviços, embora também nesta área se verifique uma presença em Portugal de grande dimensão, com especial desenvolvimento nos últimos anos", refere a AICEP.


Estima-se que estejam instaladas em Portugal cerca de 750 empresas com capitais franceses, das quais 600 são filiais de empresas francesas (36 dos 40 grupos franceses do índice bolsista CAC 40 estão presentes em Portugal.

Partilhar