NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Uma equipa de biólogos da Universidade de Aveiro (UA) está a desenvolver um substrato a partir de cascas de ostra, para substituir o uso de rochas de coral com fins ornamentais em aquários.

Liderada pelos investigadores Ricardo Calado e Ana Lillebo, a equipa de investigação encontrou na casca de ostra uma alternativa à exploração de rochas coralinas, com fins ornamentais, para aquários marinhos, segundo divulgou hoje uma nota de imprensa da UA.

 

Além de permitir evitar uma prática que ameaça os frágeis ecossistemas dos recifes de coral, o trabalho desenvolvido em Aveiro abre perspetivas à valorização da casca de ostra, produto que ainda apresenta um baixo valor acrescentado.

 

"Pretende-se que as cascas das ostras que acabam por morrer antes de atingir o tamanho comercial possam ser utilizadas na produção de um substrato artificial em aquários de recife, que pode substituir rochas coralinas, muitas vezes recolhidas ilegalmente e de forma destrutiva nos recifes de coral do Indo-Pacífico", explicam os investigadores na nota informativa.

 

O projeto de investigação aplicada foi desenvolvido no âmbito do programa "Smartbior" que visa o desenvolvimento de produtos, processos e serviços, que dinamizem as cadeias de valor associadas aos recursos marinhos naturais endógenos da Região.

 

As características da Ria de Aveiro, nomeadamente a abundância de nutrientes e a temperatura da água, fazem com que haja vários produtores de ostras na região a trabalhar para a exportação, cuja produção anual se estima em mais de 400 toneladas de ostras, tendo como principais mercados de destino a França, Holanda e Espanha.

 

As rochas coralinas de aquário são extraídas de zonas do Indo-Pacífico, por vezes ilegalmente, colocando em risco os recifes de coral, cujo declínio tem vindo a preocupar os cientistas.

 

A maioria dos bancos de coral está localizada perto da costa e, por isso, são particularmente vulneráveis aos efeitos das atividades humanas, sendo um dos fatores de ameaça a esses ecossistemas a exploração de rochas coralinas, com fins ornamentais para aquários marinhos, que recriam esses ecossistemas.

Partilhar