NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Presidente francês avisou o líder britânico de que a cláusula que visa evitar uma nova fronteira na Irlanda é "indispensável". Disse ainda que o acordo dificilmente pode ser melhorado.

O presidente francês recebeu ontem, em Paris, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e alertou-o de que já não há tempo para negociar um novo acordo de Brexit. Emmanuel Macron considerou ainda que a cláusula de salvaguarda que consta do texto já assinado "é indispensável" para preservar a paz na Irlanda do Norte e o funcionamento do mercado único europeu.


"Quero deixar bem claro que no mês que temos por diante, não encontraremos um novo acordo de saída que se afaste muito do original", afirmou Macron. Apesar disso, manifestou confiança nos parceiros britânicos e na boa vontade de Johnson, afirmando: "Ninguém esperará até 31 de outubro [datado Brexit] sem tentar encontrar uma boa solução".


Como fizera no dia anterior em Berlim, durante a reunião com Angela Merkel, Johnson insistiu na necessidade de abolir a salvaguarda, que visa travar o regresso de uma fronteira física entre a República da Irlanda e Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido. Apesar disso, disse acreditar que, "com energia e criatividade é possível ir em frente". Os críticos da salvaguarda receiam que sirva para manter o Reino Unido preso às regras da UE.


Merkel negou, entretanto, ter dado 30 dias aos britânicos para apresentarem uma alternativa. "O que disse é que o que pode conseguir-se em dois ou três anos pode conseguir-se em 30 dias. Para ser mais clara, podia dizer que pode conseguir-se até 31 de outubro".

Macron lembrou a Johnson que a salvaguarda da fronteira irlandesa visa preservar a paz na Irlanda do Norte.

Partilhar