NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Síntese Económica de Conjuntura, publicada pelo INE, aponta para uma redução do indicador de atividade económica disponível até dezembro.

Síntese Económica de Conjuntura, publicada pelo INE, aponta para uma redução do indicador de atividade económica disponível até dezembro.

 

O indicador de atividade económica caiu e o de clima económico estabilizou, avançam os dados mais recentes publicados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

“O indicador de atividade económica, disponível até dezembro diminuiu, enquanto o indicador de clima económico, disponível até janeiro, estabilizou”, indica o INE. Na semana passada, dados do Banco de Portugal referentes a janeiro apontavam para o crescimento mais lento desde fevereiro de 2017 da atividade económica, enquanto o consumo privado evoluiu à taxa mais baixa desde janeiro do ano passado.

 

Já na Zona Euro, e reportando a janeiro, “o indicador de confiança dos consumidores e o indicador de sentimento económico aumentaram”, avança ainda o INE.

 

Em Portugal, a economia avançou 2,4% nos últimos três meses do ano passado (contra 2,5% no trimestre anterior), aumentando 0,7% em cadeia (0,5% no trimestre anterior). Já o desemprego recuou e o emprego aumentou.

 

De acordo com a Síntese Económica de Conjuntura, o consumo privado caiu em dezembro, “refletindo um contributo positivo menos expressivo de ambas as componentes, consumo corrente e consumo duradouro”. Já o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) abrandou no último mês do ano, “prolongando o perfil descendente iniciado em junho”. A evolução deveu-se ao “contributo positivo menos intenso das componentes máquinas e equipamentos e construção e ao contributo negativo da componente de material de transporte”, nota o INE.

Partilhar