NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Chama-se Arriva Spain Rail a empresa que vai operar entre a Corunha e o Porto em finais de 2019. Juan Ignacio García de Miguel, líder da Arriva España, diz que quer integrar serviço ferroviário com a rede de autocarros da Arriva Galicia e Arriva Portugal para apostar na multimodalidade.

Em entrevista, Juan Ignacio García de Miguel, CEO da holding Arriva España, admite que o projecto poderá derrapar para 2020 e diz que está dependente do regulador espanhol que analisará se este serviço irá ou não fazer concorrência ao operador estatal Renfe. É também à Renfe que a Arriva admite poder vir a alugar comboios para este serviço, embora a ideia inicial seja comprá-los. A CAF, a Talgo e a Stadler são os fabricantes possíveis.

 

Este projecto foi decidido na Alemanha pela DB ou é da Arriva Espanha?
Está lançado pela Arriva Espanha. A Arriva é uma multinacional de origem britânica que em 2010 foi adquirida pelo grupo alemão Deutshe Bahn (DB), mas que tem alguma independência quanto à sua gestão. É verdade que para fazer investimentos temos que nos submeter bastante ao critério alemão, mas a Arriva é uma empresa internacional e nos 14 países onde estamos a operar, Espanha é apenas mais um.

 

A decisão partiu de Madrid?
Daqui partiu a oportunidade de negócio. Nós visualizámos essa oportunidade para lançar o projecto e quando tivermos que fazer os investimentos necessários, a DB estará envolvida. Mas ainda há um longo caminho a percorrer. Estamos num estádio muito inicial e não é para lançar o comboio já amanhã.

 

Como surgiu a ideia?
A Arriva Galicia está muito implementada na região e a Arriva Portugal também é muito forte no Norte de Portugal. Por isso achámos que poderíamos oferecer aos passageiros algo que actualmente não existe: um serviço multimodal entre o autocarro e o comboio. Podemos recolher os passageiros desde os vários “pueblos” à volta da Corunha e transportá-los no comboio para Portugal e aí estes seguirem viagem nos nossos autocarros Arriva para diferentes destinos.

 

Está prevista algum tipo de bilhética que permite aos vossos passageiros viajar com o mesmo título de transporte nos comboios da CP e da Renfe?
De momento isso não está previsto no nosso modelo de negócio. Mas pode vir a acontecer no futuro.

 

Com que comboios vão operar entre a Corunha e o Porto?
Como há um troço de linha que não estará electrificado [Viana do Castelo – Valença], é preciso usar material circulante que possa superar esse obstáculo. Para isso temos vários fabricantes nacionais, como CAF e a Talgo, ou internacionais, como a Stadler, um fabricante alemão. Na Holanda temos uma linha entre Leeuwarden e Groningen que não está toda electrificada e aí usamos um comboio híbrido [a diesel e eléctrico]. A própria Renfe tem material circulante que poderia ser útil para este projecto. Mas isto são meras opções. Insisto em que estamos num estádio muito prévio.

 

Admite a possibilidade de alugar comboios à Renfe?
Sim. E a Renfe está de acordo, até porque possui comboios com a mesma bitola de Portugal e Espanha.

Partilhar