NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O grupo Newmark Hotels comprou um terço do capital da portuguesa Unlock e prepara-se para comprar mais unidades hoteleiras no país. Estes são os primeiros passos da expansão para o resto da Europa.

A cadeia hoteleira Newmark Hotels acaba de entrar em Portugal, com a aquisição de um terço do capital da portuguesa Unlock Boutique Hotels. Este é apenas o primeiro passo do grupo sul-africano, que pretende alargar a presença em Portugal, com a aquisição de novas unidades hoteleiras, através de um fundo de investimento que está a ser constituído. Numa fase posterior, quer expandir-se para outros países europeus.

Esta é a primeira investida da Newmark fora de África. O grupo, criado em 1990, conta atualmente, com 18 unidades, a maioria das quais na África do Sul. A aposta em Portugal, com a entrada no capital da Unlock, é o passo inicial da expansão europeia do grupo.

“Sempre olhámos para Portugal como um mercado com um fantástico potencial de crescimento”, afirma, em entrevista concedida por escrito ao Negócios, o presidente executivo do grupo, Neil Markovitz, que não revela o valor do investimento feito na aquisição de um terço do capital da Unlock. “Foi uma quantia significativa”, diz apenas o responsável.

Depois da entrada no capital da Unlock, concluída após dois anos de contactos e negociações entre as duas equipas, a Newmark prepara-se para constituir um fundo de investimento para adquirir outras unidades em Portugal, que serão geridas pela cadeia hoteleira portuguesa.

Este fundo, detalha Neil Markovitz, vai atrair investidores que detenham vistos “gold” e deverá ser constituído com 30 a 40 milhões de euros de capital. “A nossa estratégia prevê lançar o fundo até meados deste ano e já começámos a trabalhar com gestores de fundos locais, que já estão a consultar algumas propriedades que pretendemos adquirir”, esclarece. Esse plano de aquisições será executado ao longo dos seis a doze meses seguintes, adianta.

Já para a Unlock, este será um momento de crescimento importante, antecipam os responsáveis do grupo português. “A Newmark possui representantes de vendas em todos os principais mercados externos do mundo que, agora, comercialização o portefólio de hotéis boutique da Unlock”, afirmou Miguel Velez, presidente e fundador da Unlock.

Primeiro Portugal, depois a Europa

Depois desta primeira fase, o grupo Newmark pretende investir no resto da Europa, mas não adianta, para já, quais os mercados em que tem interesse, nem o número total de unidades hoteleiras que pretende vir a adquirir.

“Não há interesse na aquisição de ativos como troféus e as propriedades que adquirirmos têm de ter uma base forte e uma vantagem comercial”, refere apenas o presidente do grupo sul-africano.

Coronavírus assusta

 

A expansão para a Europa é feita numa altura crítica para o turismo. Com o impacto do novo coronavírus, que tem fechado fronteiras e deixado em terra milhões de potenciais turistas, o setor prepara-se para enfrentar perdas de receita na ordem dos milhares de milhões de euros.

Neil Markovitz assume a preocupação com este cenário, mas acredita que o setor será capaz de recuperar. “Estamos extremamente preocupados com o impacto do novo coronavírus. Vemos uma alteração dramática do comportamento no setor de turismo e viagens, mas estamos confiantes de que isto irá passar. Ultrapassámos vários obstáculos no passado e é importante mantermo-nos focados e não entrar em pânico”, conclui.

Partilhar