NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As candidaturas a melhor projeto nacional relacionado com novos modelos de negócio na economia digital, tecnologias industriais, biotecnologia e saúde terminam daqui a 1 mês. Os projetos têm de estar, pelo menos, em fase de prototipagem.

A consultora Everis e a fundação com o mesmo nome abriram as candidaturas para a 18ª edição dos seus prémios nacionais de empreendedorismo, inovação e talento: “Everis Portugal Awards”. A edição portuguesa deste concurso internacional – cujas inscrições terminam no próximo dia 15 de maio – irá galardoar os três melhores projetos de economia digital, tecnologias industriais/biotecnologia e saúde com 10.000 euros e serviços de consultoria.

 

“Os projetos candidatos devem estar, pelo menos, em fase de prototipagem (segredo ou patente ou produto mínimo viável ou produto ou equivalente), baseados numa inovação tecnológica que melhore a qualidade de vida das pessoas e da sociedade”, refere a organização. O júri – composto por empreendedores, entidades ligadas à academia e ao mundo empresarial – vai avaliar o nível de inovação, o modelo de negócio e a solução apresentada.

 

Na competição global, o grande premiado irá receber 60.000 euros em dinheiro e serviços em mentoria avaliados em 10.000 euros. Além disso, os vencedores oriundos de 10 países podem participar na «everis talent week», o que lhes vai dar um passaporte de entrada em conferências, seminários e eventos com investidores sobre inovação. Desenganem-se os portugueses que acham que não terão hipóteses de ganhar a nível internacional: nos últimos cinco anos, conquistou duas menções honrosas e dois primeiros lugares, em 2015 e 2016.

 

As categorias a concurso são as seguintes:

  • Economia digital: projetos baseados em modelos de negócio digitais inovadores que traduzem oportunidades provenientes de novas tecnologias.
  • Tecnologias industriais: projetos baseados em inovação tecnológica aplicados ao desenvolvimento de produtos ou serviços em áreas como turismo, indústria, banca, seguros, telecomunicações, logística, distribuição, energia, infraestruturas ou consumo em geral.
  • Biotecnologia e saúde: projetos baseados na aplicação da biotecnologia e ciências da vida a desenvolvimento de medicamentos, novas terapias ou produção de alimentos. Também são válidos os projetos que incorporam desenvolvimentos tecnológicos na forma de dispositivos médicos ou soluções de “eHealth”.

Partilhar