NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Desde a entrada em vigor provisória, em setembro de 2017, o valor das exportações de Portugal para o Canadá ascendeu aos 322 milhões de euros, sendo o setor automóvel o que registou o maior aumento.

O acordo de livre comércio entre a União Europeia (UE) e o Canadá, conhecido como CETA, levou a um aumento de 15% nas exportações portuguesas para o Canadá. Desde a entrada em vigor provisória, em setembro de 2017, o valor das exportações de Portugal para o Canadá ascendeu aos 322 milhões de euros, sendo o setor automóvel o que registou o maior aumento.

 

Os dados foram revelados esta terça-feira pela comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmström, em resposta a uma questão colocada pelo eurodeputado comunista João Ferreira, junto do Parlamento Europeu. João Ferreira quis saber quais foram as empresas portuguesas que beneficiaram deste acordo e em que medida, tendo em conta que o comunicado de imprensa em que assinalava o primeiro ano do CETA apenas referia exemplos de empresas oriundas da Bélgica, Estónia, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Países Baixos, Espanha e Suécia.

 

Cecilia Malmström fez saber que os dados preliminares recolhidos pelo gabinete de estatísticas da UE (Eurostat), entre outubro de 2017 e setembro de 2018, revelam “um incremento de 9% das exportações da UE para o Canadá, tendo as exportações portuguesas aumentado 15% (de 281 milhões para 322 milhões de euros)”. Já as exportações do Canadá para portugal aumentaram 30%, perfazendo um total de 242 milhões de euros.

 

Os setores que mais se destacaram no primeiro ano de trocas comerciais de Portugal para o Canadá estiveram o calçado (18%), as máquinas e aparelhos mecânicos (49%), os veículos e respetivas componentes (248%), os plásticos (42%), o vestuário (114%), os frutos, incluindo frutos de casca rija (43%) e as bebidas espirituosas e os licores (17%). Já nas exportações do Canadá para Portugal destacaram-se os combustíveis minerais, os plásticos e os produtos farmacêuticos.

 

“Embora seja prematuro retirar conclusões definitivas destes números preliminares que abrangem um período de nove meses apenas, os dados em questão demonstram, é certo, que o CETA segue a tendência positiva geral do comércio UE-Canadá e que determinados setores já beneficiam das oportunidades que o acordo proporciona”, afirmou Cecilia Malmström.

O CETA entrou em vigor a 21 de setembro de 2017, com o objetivo de reduzir as taxas alfandegárias e facilitar a exportação de bens e serviços a UE e o Canadá. O acordo foi até agora aplicado a 95%, devendo ser ratificado pelos parlamentos dos 28 países da UE para entrar plenamente em vigor, o que se prevê que demore anos.

 

A UE é o segundo parceiro comercial do Canadá, atrás apenas dos Estados Unidos, enquanto o Canadá ocupa o 12.º lugar no ranking de exportações para a UE. Em 2014, os países da União exportaram para o Canadá bens no valor de 31.700 milhões de euros e compraram bens canadianos avaliados em 27.400 milhões de euros.

Partilhar