NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

2017 Foi um ano mais quente e seco do normal, com uma das produções mais baixas do século. E foi ano Vintage para os Symington. Desde a entrada da família em Portugal, em 1882, esta é a primeira vez que fazem duas declarações gerais consecutivas de Vintage.

2017 foi um ano "de condições muito particulares", com "semelhanças surpreendentes com os dados climáticos de 1945, que reúne consenso como um dos anos que produziu um dos melhores Porto Vintage de sempre", diz a família ao anunciar a decisão de anunciar 2017 ano de Porto Vintage.

 

Na prática, isto significa que a Symington Family Estates faz duas declarações consecutivas de Porto Vintage pela primeira vez na sua história, iniciada em 1882. E faz a sexta declaração de Vintage (correspondente ao patamar mais alto na classificação do Vinho do Porto) do século XXI.

 

Comparando 2016 e 2017, e o cenário que permitiu fazer duas declarações consecutivas de Vintage, a família fala de "dois anos sucessivos muito diferentes, mas de elevadíssima qualidade para o vinho do Porto".

 

Foi um ano "bastante mais quente e seco do que o normal", com "bagos compactos em excelentes condições", uma das produções mais baixas do século (20% inferior à média da última década), que culminou na vindima mais precoce em 137 anos de história da família na produção de vinho do Porto, explica a empresa, que assim está a valorizar os seus vinhos.

 

"As produções foram muito baixas, mas a intensidade, concentração e estrutura foram de cortar a respiração", diz o enólogo principal da empresa, Charles Symington, a justificar uma decisão que abrange as principais quintas da família no Douro e permitira colocar no mercado quantidades limitadas de algumas marcas com esta classificação destinada apenas a anos considerados excecionais.

 

"Dadas as produções muito baixas, o Porto Vintage 2017 é, em quantidade, a mais pequenas declaração Symington do século XXI, com os volumes em primeur cerca de um terço abaixo de 2016", refere a empresa em comunicado

 

Com ascendência inglesa, escocesa e portuguesa, os Symington são produtores de vinho do Porto desde 1882, reunindo 10 membros da família num universo empresarial que combina as marcas Graham´s, Cockburn´s. Dow´s e Warre´s, além dos projetos Quinta do Vesúvio, Quinta do Ataíde, Altano e Prats & Symington. Recentemente, juntaram a este portfólio, a Quinta da Fonte do Souto, no Alentejo.

 

A Symington Family Estates, com um volume de negócios próximo dos 100 milhões de euros, tornou-se, também, o principal proprietário de vinhas do Douro, com 26 quintas e 2.240 hectares de área, 1.024 dos quais de vinha e 112 com certificação biológica.

Partilhar