NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Num artigo de opinião intitulado ‘As potencialidades do Porto de Sines’, publicado no portal da ADFERSIT, José Luís Cacho, presidente do Conselho de Administração da APS, elencou as armas estratégias do porto alentejano para fazer face aos novos desafios logísticos e competitivos do sector marítimo-portuário.

Entre esses prismas estratégicos está a colaboração com a aicep Global Parques em busca de «oportunidades de negócio.

 

Contentores são «aposta forte» mas Sines busca novas oportunidades de negócio

«Pese embora a forte aposta no segmento da carga contentorizada [a expansão do Terminal XXI e a construção do novo terminal de contentores, intitulado de Vasco da Gama], novas oportunidades de negócio perfilam no horizonte de Sines», explicou José Luís Cacho, salientando que a «crescente descarbonização da economia lança novos desafios, que em Sines se centram, principalmente no Terminal Multipurpose, responsável pela importação de carvão que serve as duas centrais termo-eléctricas do país, cujo encerramento está previsto para os próximos três anos».

 

«Usufruindo das excelentes condições daquele terminal, quer no que diz respeito aos fundos disponíveis (-18m ZH) quer à disponibilidade de amplas áreas de terrapleno, o Porto de Sines, em colaboração com a aicep Global Parques, tem vindo a procurar novas oportunidades de negócio, nomeadamente no sector agro-alimentar», acrescentou o presidente do Conselho de Administração do Porto de Sines.

 

No contexto da captação do interesse de novas empresas, recorde-se que o porto alentejano tem estado bastante activo e a despertar a atracção de potências mundiais como os EUA – em Fevereiro, o Secretário de Estado da Energia do governo de Donald Trump, Dan Brouillette, visitou a infra-estrutura portuária – um evento acompanhado ao detalhe pela Revista Cargo. A visita reflectiu o interesse dos EUA nas virtudes geoestratégicas e operacionais de Sines, inclusivamente no Terminal Vasco da Gama e até no contexto da exportação de gás natural liquefeito (GNL) para a Europa.

Partilhar