NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

“É bom, mas é estranho ter um prémio só por ser mulher”, confessa Sara Gonçalves ao Expresso.

Sara Guimarães Gonçalves, da Trigger.Systems, acaba de conquistar o prémio EIT 2019, do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia, na categoria “Mulher”. E na primeira reação, ao Expresso, admite estar dividida entre “a alegria” de receber esta distinção e “a estranheza de trazer para casa um troféu exclusivamente para mulheres”.

 

“É uma mistura de sentimentos. É bom ser distinguida, mas é estranho receber um prémio só por ser mulher”, diz a empreendedora que na reação oficial, ao EIT, também deixou a nu a existência de “muito preconceito de género no setor”.

 

E o primeiro sinal pode ser o valor do galardão que nesta categoria de empreendedorismo é de 20 mil euros, tal como o prémio atribuído ao melhor licenciado dos programas educativos do EIT, subindo para os 50 mil euros nas outras 3 categorias, todas entregues a homens. Mas Sara não quer entrar na questão monetária. Prefere falar de sentimentos. Afirma que “um prémio específico para mulheres pode parecer um pouco discriminatório”. No mundo ideal, “não devia fazer sentido existir esta categoria específica”, acrescenta.

 

Agradece, no entanto, ao EIT InnoEnergy: “Deu-me as ferramentas de empoderamento necessárias para chegar aqui”, diz a jovem empresária, de 25 anos, fundadora da startup Trigger.Systems, em 2017, juntamente com Francisco Manso, tendo como acionista o InnoEnergy, a Portugal Ventures e mais um sócio privado.

 

Licenciada em agronomia, a concluir um mestrado em bioinformática, Sara está apostada na ligação da tecnologia à agricultura para aumentar a eficiência dos processos agrícolas. Na Trigger.Systems, com sede no Fundão, onde está a montar um centro de IOT (internet das coisas), a missão é, exatamente, desenvolver a agricultura de precisão e, para isso, a empresa faz projetos na área da automatização da rega em agricultura, jardins e parques. Nos dois primeiros anos, ainda sem atividade comercial, teve um volume de negócios de €200 mil.

 

Ao lado de Sara, os EIT 2019, entregues em Budapeste, na Hungria, premiaram Michael Dittel, da LeafTech (Alemanha), na categoria EIT Change Award, Marc Julien, da Dabeloop (França), na categoria EIT Innovation Awards, Matthew Dickson, da CorPower Ocean (Suécia) na categoria EIT Venture Award, e David Pistoni Perez, da Zeleros, (Espanha), na categoria EIT Public Award.

 

Na apresentação dos prémios, o Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia, criado em 2008, explica que estes galardões celebram os empreendedores mais talentosos da Europa, que potencializam soluções para os desafios nas áreas do clima, energia, digitalização, alimentação, saúde e matérias-primas, incentivam empreendedores e promovem a inovação feita na Europa.

Partilhar