NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Rui Cordeiro, sócio fundador da Critical Software – que estabeleceu uma parceria com o gigante BMW – considera que a engenharia portuguesa está entre a melhor do mundo.

“Portugal evoluiu imenso durante a última década no mundo das tecnologias e hoje é um dos países da frente no desenvolvimento de soluções de inteligência artificial e de software aplicado às aplicações mais utilizadas no sector automóvel e na área da cibersegurança” referiu ao Jornal Económico Rui Cordeiro, CEO da Critical TechWorks – a joint-venture entre a BMW e a Critical Software que esta quarta-feira inaugurou instalações em Lisboa. “Temos os melhores engenheiros nas escolas portuguesas, que estão entre os melhores do mundo, o que faz com que Portugal não fique atrás de nenhum outro país a nível mundial em matéria de tecnologia e inovação”, comentou.

 

“Não foi a Critical Software que andou atrás da BMW neste projeto, pois aconteceu precisamente o contrário: foram os engenheiros e os quadros da BMW que vieram ter connosco, que nos colocaram entre os possíveis candidatos a parceiros, até ficarmos numa short-list de 11 empresas e sermos finalmente escolhidos como os melhores”, referiu Rui Cordeiro.

 

Sócio inicial da Critical Software, Rui Cordeiro recorda que a sua empresa resultou de um spin-off de uma unidade tecnológica nascida na Universidade de Coimbra, “continuamos a manter os mesmos quatro sócios iniciais, nunca abrimos o capital e pretendemos que a Critical Software prossiga assim”.

 

O novo centro de excelência tecnológica conjunto da BMW e da Critical Software – o Critical TechWorks – foi inaugurado na quarta-feira passada, é uma unidade tecnológica partilhada, localiza-se na zona de Entrecampos, e expandiu em Portugal o designado “ecossistema Critical” num novo escritório de sete andares.

 

Este novo investimento confirma a capacidade de Portugal atrair projetos tecnológicos com forte componente de engenharia. Depois da unidade especializada da Mercedes Benz, também a BMW e a Critical apostaram no desenvolvimento de produtos de muito alta tecnologia, aumentando o cluster do sector automóvel em Portugal. Estes projetos reforçam a posição de Lisboa no mapa europeu da inovação tecnológica na área das soluções de IT e do software de classe mundial.

 

A joint-venture Critical TechWorks foi lançada em 2018, integrando o Grupo BMW e a Critical Software, e já conta com 350 colaboradores especialistas em soluções de engenharia de software e mobilidade premium. Esta parceria arrancou no Porto e agora será desenvolvida em Lisboa, prevendo-se que o número total de engenheiros especializados seja repartido de igual forma entre Lisboa e o Porto. Rui Cordeiro explicou ao Jornal Económico que em 2019 esta unidade deverá crescer até ter 600 colaboradores. Mas o projeto deverá continuar a crescer até chegar ao milhar de colaboradores.

 

A Critical TechWorks vai partilhar os escritórios em Lisboa com a Critical Software. Em 2018 esta empresa internacional de sistemas e software “duplicou o número de colaboradores para mais de 800, num ano em que atingiu um crescimento recorde de 40%”, adianta Rui Cordeiro – precisamente quando celebrou 20 anos de atividade.

 

Agora ocupará dois andares do novo espaço em Entrecampos, juntando-se a outros escritórios em Portugal e na Europa, para continuar a servir os seus mercados internacionais. Rui Cordeiro refere que “o software desempenha um papel cada vez mais importante no futuro da mobilidade e da indústria automóvel como um todo”. E ambições não faltam: “a Critical TechWorks quer ser uma referência em todo o mundo”, garante, explicando que esta unidade “desenvolve tecnologias de ponta onboard e offboard para o grupo BMW”.

 

O CEO da Critical Software, Gonçalo Quadros, na cerimónia de inauguração das instalações de Entrecampos, referiu que “ao longo dos últimos 20 anos, a Critical Software tem vindo a dedicar-se a enfrentar alguns dos desafios tecnológicos mais exigentes. Agora em Lisboa a nossa equipa poderá continuar a desenvolver soluções inovadoras e disruptivas que ajudarão a definir indústrias em todo o mundo”.

 

Fundada em 2018, a Critical TechWorks desenvolve soluções de engenharia de software, exclusivamente para o BMW Group, em áreas diversas como condução autónoma, mobilidade, software de bordo, tecnologia para carros conectados, análise de dados, eletrificação, produção e logística. Com as suas marcas BMW, MINI, Rolls-Royce e BMW Motorrad o BMW Group é o construtor premium de automóveis e motos mais bem-sucedido do mundo, oferecendo também serviços financeiros e de mobilidade. Em termos globais, o BMW Group detém 30 fábricas em 14 países e uma rede global de vendas em mais de 140 países.

 

Em 2018, o BMW Group atingiu um volume global de vendas superior a 2,49 milhões de automóveis e mais de 165 mil motociclos. O resultado antes de impostos em 2017 foi de 10,65 mil milhões de euros, num total de 98,67 mil milhões de euros de volume de negócios. Em 31 de Dezembro de 2017 a empresa empregava, aproximadamente, 129.932 colaboradores.

Partilhar