NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Nos últimos dois anos, espaço do centro de dados localizado no Prior Velho já cresceu 40%. Empresa tem 60 clientes em Portugal.

É um dos centros de dados mais importantes do país, por ser um ponto de ligação de 15 cabos submarinos que ligam Portugal ao mundo, e vai continuar a crescer. A garantia é dada por Carlos Paulino, diretor-geral da Equinix para o mercado português. «Vamos ter a necessidade de duplicar a capacidade do centro de dados nos próximos quatro anos», adiantou durante uma apresentação nesta quinta-feira.

 

Esta expansão ainda será feita dentro do espaço que a empresa tem no seu centro de dados localizado no Prior Velho, mas a gigante norte-americana está a estudar qual “o próximo passo” para o mercado português e deixa algumas possibilidades em aberto: apostar um novo centro de dados e criar aquilo que chama de campus digital, no qual ambos os data centers estariam ligados entre si; ou então obter um segundo centro de dados por via de aquisição.

 

«Estamos abertos e atentos a essa possibilidade de crescer via aquisição», disse o responsável. Recorda-se que já o centro de dados do Prior Velho fez parte da aquisição da empresa Itconic pela Equinix, negócio concretizado em 2017. «Fizemos nos últimos dois anos um investimento significativo e expandimos mais 30 a 40% [o centro de dados]», referiu ainda Carlos Paulino, sem adiantar valores de quanto é que a empresa investiu.

 

No centro de dados, cada sala de 200 metros quadrado pode ter até 100 racks e em cada rack podem estar instalados 47 servidores. «É uma tendência de mercado a necessidade de mais e mais potência. Temos investido muitíssimo para capacitar este data center da maior capacidade».

 

Por agora está descartada a possibilidade de Portugal vir a receber um dos centros de dados de hiperescala que a Equinix, por via de uma joint venture com o fundo GIC de Singapura, está a trazer para a Europa. «Estão a ser averiguadas todas as localizações. Inicialmente o objetivo é o centro da Europa. Não está ao dia de hoje previsto que seja orientado a Portugal».

 

Mesmo assim, Carlos Paulino diz que as grandes empresas do mercado de centros de dados «veem Portugal como um ponto privilegiado», muito graças à sua localização que permite criar ligações submarinas entre continentes. «Somos um ponto privilegiado de acesso ao Atlântico Sul», exemplificou.

 

No mercado português, a Equinix tem 60 clientes e 15 funcionários. «Lisboa está a desempenhar um papel preponderante em construir este centro como a casa da cloud».

Partilhar