NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Governo britânico retirou Portugal da lista de países seguros, com exceção das regiões da Madeira e Açores, e a partir de sábado obriga a cumprir uma quarentena de duas semanas ao chegar ao Reino Unido.

“Através de informação aperfeiçoada, agora temos a capacidade de avaliar ilhas separadas dos seus países continentais. Se chegar a Inglaterra vindo dos Açores ou Madeira, não precisará de se isolar por 14 dias”, escreveu o ministro britânico dos Transportes, Grant Shapps, na rede social Twitter.

 

De acordo com o ministro, a medida, que também afeta a Hungria, Polinésia Francesa e ilha da Reunião, entra em vigor às 04.00 de sábado em Inglaterra.

 

A Escócia já tinha excluído Portugal da sua lista de “corredores internacionais” a partir de 5 de setembro, enquanto que o País de Gales aplicou restrições um dia antes, mas manteve a Madeira e Açores isentos de quarentena.

 

Grant Shapps acrescentou que a Suécia vai passar a estar isenta de quarentena.

 

Portugal só foi incluído na lista dos países com “corredores de viagem” com o Reino Unido há três semanas, a 20 de agosto, mas o aumento contínuo do número de casos de infecção em Portugal terá pesado na decisão, que era esperada na semana passada, quando ultrapassou o nível de 20 casos por 100 mil habitantes.

 

Na altura, Shapps alegou que Portugal não foi excluído Portugal devido à “taxa de positividade” em declínio.

 

Hoje, Portugal contabilizou hoje 585 novos casos de infeção com covid-19 e na véspera tinha registado 646, mais do dobro das registadas na terça-feira.

 

O índice de transmissibilidade efetivo (Rt) encontra-se atualmente em 1,12, um valor considerado de risco.

 

A situação epidemiológica de covid-19 em Portugal agravou-se desde meados de agosto, de acordo com um estudo da Direção-Geral da Saúde (DGS) e Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), tendo sido registadas 3.909 novas infeções entre 17 e 30 de agosto.

Partilhar