NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os ecrãs tácteis de grandes dimensões vão substituir os tradicionais quadro negros de giz. Governo chinês tem 26 mil milhões de euros para modernizar o sistema educativo.

A portuguesa Displax, pertencente ao grupo Edigma, vai instalar 100 mil ecrãs ecrãs tácteis em 100 escolas na China, depois de ter chegado a um acordo com a empresa chinesa Odin Eletronics, segundo revela a Displax em comunicado divulgado esta terça-feira, 30 de abril.

 

Com esta parceria, o grupo Edigma assegura em exclusivo a produção de todas as unidades que vão abastecer o mercado chinês, reduzindo o custo de produção e aumentando a quantidade de produtos Displax disponíveis naquele mercado.

 

“Isto permite que a Displax continue a investir em inovação e desenvolvimento e reforce a sua linha de produtos cada vez mais sofisticados e inovadores. Temos um planeamento muito forte para os próximos 6/12 meses e reforçaremos a nossa linha de produtos Displax para o mercado chinês”, afirma Miguel Fonseca, presidente executivo da empresa.

 

“Contamos chegar a 100 mil salas de aula chinesas nos próximos anos, numa parceria que se antevê duradoura, tendo em conta ao tempo e profundidade das negociações”, segundo o responsável.

 

O governo chinês tem um programa de investimento de 26 mil milhões de euros para modernizar o sistema de educação no país, equipando tecnologicamente todas as salas de aula, onde irão ser substituídos os quadros negros de giz por ecrãs tácteis de grandes dimensões.

 

O acordo foi fechado num momento em que o Presidente da República português Marcelo Rebelo de Sousa se encontra a realizar uma visita oficial à China.

Partilhar