NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Inovação. Junta-se a gastronomia às artes, mistura-se com um design moderno e criam-se centenas de empregos.

O conceito Time Out Market nasceu há cinco anos no Mercado da Ribeira, em Lisboa. A casa-mãe detentora da revista “Time Out” gostou tanto do modelo que um ano depois comprou a operação de Lisboa e agora quer replicar o conceito em várias cidades à escala global.

 

João Cepeda, 41 anos, ex-jornalista e um dos fundadores do Time Out Market, foi contratado para liderar o processo de internacionalização e prepara-se para inaugurar o primeiro espaço fora de Portugal, já no próximo dia 9 de maio. Vai ser em Miami, nos Estados Unidos, numa das zonas mais centrais da cidade, na Lincoln Road. Depois de Miami, seguem-se Boston e Nova Iorque (início de junho), Chicago (setembro) e Montreal, no Canadá (em outubro).

 

“Nos últimos quatro anos praticamente tenho vivido em aviões. Tem sido uma fase muito intensa, mas, ao mesmo tempo, muito gratificante, pois vemos o resultado do nosso trabalho a ganhar forma todos os dias”, resume João Cepeda, em véspera de mais uma viagem para os Estados Unidos.

 

A cinco dias da abertura do primeiro espaço no continente americano, o jovem gestor avança já com mais novidades: “O sucesso deste conceito tem sido de tal ordem que quase todas as semanas recebemos estrangeiros em Lisboa interessados em ‘importá-lo’. Assim, já temos fechados projetos para o Dubai (inauguração em 2020), Praga (2021) e Londres (2022).”

 

Apesar de trabalhar com uma equipa multinacional, Cepeda assegura que 90% dos seus colaboradores são portugueses. De origem nacional serão também as cadeiras e mesas que vão equipar, desde já, o Time Out Market de Miami. O mobiliário de madeira será produzido em Paços de Ferreira. Mas haverá também azulejos e uniformes para os empregados made in Portugal.

 

“Toda a mão de obra do Time Out Martek de Miami será local, incluindo os chefs, mas, nos vários eventos que já temos agendados para aquele novo espaço, o vinho será português”, sublinha João Cepeda.

 

O responsável pelos espaços Time Out Market começou a sua carreira como jornalista no “Diário de Notícias”, mas trabalhou também na agência Lusa e também colaborou com a TSF e com a SIC. Apesar de agora ser um gestor, ainda mantém alguma ligação com a parte editorial do projeto, que é precisamente a revista “Time Out”: “Acaba por ser um link importante para todo este conceito, embora em alguns locais a revista já só tenha expressão digital. Sinal dos tempos.”

 

Depois de Miami, lá para o final de maio ou princípio de junho, deverão abrir os espaços de Nova Iorque e de Boston, nos Estados Unidos. O primeiro destes dois ficará situado em Brooklyn e “terá uma vista privilegiada sobre Manhattan”. “Já o de Boston, ficará num edifício histórico da cidade, na zona de Fenway, perto do estádio dos Red Sox”, explica João Cepeda. Em Chicago, a zona escolhida também “é central. Chama-se Fulton Market e fica perto de vários recentemente construídos naquela cidade”.

 

Há, porém, um pormenor que Cepeda faz questão de sublinhar. Nenhum dos novos espaços será tão grande como o de Lisboa. No Mercado da Ribeira, o Time Out Market ocupa uma área de 3200 metros quadrados (m2), enquanto na América as áreas variam entre os 1800 e os 2600 m2. Trata-se, em todos os casos, de espaços arrendados. Em Lisboa, o Time Out Market emprega 600 pessoas.

Partilhar