NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Portugal está cada vez mais no radar dos investidores internacionais para localização de centros de serviços partilhados e centros de competência. As operações desenvolvidas nestes centros incluem funções financeiras, gestão de recursos humanos, compras e gestão do cliente, logística, tecnologias de informação, engenharia e I&DT.

Entre os fatores determinantes na escolha do nosso território por parte das empresas estrangeiras, nomeadamente as francesas, estão a qualificação dos profissionais portugueses, um ambiente de negócios competitivo, as infraestuturas tecnológicas de qualidade, legislação laboral e fiscal competitivas, entre outros fatores.


Conforme afirmou à "Vida Económica" Liza Orioli, Business Development Mana- ger da ATS uma das empresas francesas presente no evento , "a escolha de Portugal para a abertura da quarta agência da ATS foi feita com base em diversos fatores como a estabilidade económica, a segurança do país e o nível de salário mais baixo comparando com outros países de Europa. Além disso, Portugal oferece excelentes condições para o recrutamento de colaboradores qualificados. O acesso às universidades, politécnicos e escolas profissionais é fácil e os candidatos estão particularmente atentos às oportunidades oferecidas pelas empresas estrangeiras".


"Acima de tudo, procuramos profissionais que partilhem os valores da nossa empresa, como a unidade, a partilha, a performance e o respeito. Mais concretamente, procuramos técnicos de desenho (2D/3D) e engenheiros mecânicos ou de projetos na área industrial. Todos os nossos colaboradores partilham o mesmo espírito de cooperação, gostam de desafios e seguem atentamente as evoluções tecnológicas na área industrial", acrescenta Lisa Oreli.


A propósito do que agora nos diz esta responsável, recordamos a entrevista a Juliana Ribeiro, diretora de Marketing da Milestone, publicada pela VE na edição de 10 de janeiro, em que afirmou o seguinte: "E indispensável pensar na atração de talentos de forma sistémica, trabalhando questões de missão, valores, propósito e objetivos corporativos".

ATS vai recrutar mais 10 trabalhadores


E é precisamente talento que a ATS procura recrutar em Portugal. "Os colaboradores em Portugal destacam-se pela capacidade linguística (francês / inglês) e adaptabilidade em contexto internacional.


A formação académica ou técnica e os conhecimentos da realidade profissional são outros pontos fortes. Acima de tudo, a capacidade de integração e vontade de evoluir são os fatores de sucesso dos nossos colaboradores em Portugal", afirma Lisa Oreli.


Sobre o desempenho demonstrado pelos trabalhadores portugueses, a responsável da ATS refere: "O desempenho dos colaboradores portugueses tem sido excelente desde o início da aventura em 2017. A motivação, capacidade de aprendizagem rápida e comprometimento estão na base do bom desempenho da nossa equipa portuguesa".


" Iniciámos a atividade [em Portugal] com um grupo de três pessoas em 2017 e hoje contamos com uma equipa de 15 pessoas. O objetivo para 2020 é alcançar os 25 colaboradores conclui.


Segundo a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa, estima-se que estejam instaladas em Portugal cerca de 750 empresas com capitais franceses, das quais 600 são filiais de empresas francesas (36 dos 40 grupos franceses do CAC 40 estão presentes em Portugal), gerando um volume de negócios anual de 14,3 mil milhões de euros e assegurando mais de 62 mil postos de trabalho.

Generix acredita no talento português


A Generix Group decidiu implementar um centro de serviços europeu em Portugal. "A decisão foi tomada não só pela qualidade de vida que proporciona, mas também pela alta competitividade no setor. Sendo uma referência a nível mundial na área da Sup- ply Chain, a Generix deu esse passo de uma forma ponderada, acreditando no talento português e na sua capacidade de trabalho em ambientes sofisticados e com elevado grau de exigência", afirma Cecília Teixeira, "Talent Acquisition & HR Specialist" da Generix Group.


A Generix Group é uma empresa especialista em gestão de fluxos colaborativos para Supply Chain, e está presente em mais de 60 países, através das suas filiais e rede de parceiros. Em 2018, o grupo escolheu o Norte de Portugal para implementar um centro de serviços, orientando-o para a prestação de serviços de excelência no atendimento às necessidades dos seus clientes. Desde então, foram recrutados várias dezenas de engenheiros de software altamente qualificados e especialistas em Supply Chain que constituem hoje equipas dedicadas a áreas de Client Support, "a qualidade e desenvolvimento de software, entre outros serviços dedicados a clientes".


"Diariamente, procuramos garantir a excelência e alta qualidade dos nossos serviços, inspirando as equipas através da nossa máxima collaborate/accelerate'. Isto traduz-se na integração numa equipa jovem, ambiciosa e com perspetiva de crescimento e evolução de carreira dentro da própria empresa, valorizando assim as competências e talentos de cada uma das nossas pessoas. Também, e dada a nossa origem e distribuição geográfica world wide' dos nossos clientes, a inter- culturalidade faz parte do nosso dia a dia, enriquecendo a experiência dos nossos colaboradores tanto a nível profissional como pessoal", esclarece Cecília Teixeira.


Relativamente ao desempenho demonstrado pelos trabalhadores portugueses, acrescenta: "Dada a vasta oferta de formação especializada em tecnologias de informação e da Supply Chain, a fluência em várias línguas e a capacidade de adaptação a diferentes culturas, consideramos hoje que os profissionais portugueses são um verdadeiro assei' no âmbito do crescimento do grupo Generix".


Segundo afirmou ainda à "Vida Económica", nos próximos anos, a Generix Group pretende continuar a investir no talento português. Já em 2020, temos como objetivo duplicar o número de colaboradores existente, o que irá permitir a expansão de novas áreas tecnológicas, reforçando assim as já existentes", conclui Cecília Teixeira.


BNP Paribas aposta no Norte de Portugal


Entre as maiores empresas francesas que escolhem Portugal para investirem está o BNP Paribas empresa que estará presente no Fórum Emprego , que inaugurou em novembro de 2019, em Matosinhos, o seu novo espaço de escritórios e que será o centro da atividade do banco no Norte do país.


O URBO Business Centre tem uma capacidade total de aproximadamente 1500 postos de trabalho e acolhe agora a maioria das entidades que já se encontravam dispersas por vários edifícios, na área do Grande Porto - mais concretamente, o BNP Paribas Corporate & Institutional Banking, o BNP Paribas Factor, o BNP Paribas Personal Finance e a International Trade Partners.


Ainda no setor financeiro, o banco de investimento francês Natixis abriu um centro tecnológico no Porto, em 2017, tendo transferido para o país as tecnologias da informação. Em 2019, terá contratado mais 150 colaboradores, passando para um total de 550 funcionários em Portugal.


A Euronext, a gestora das bolsas de Paris, Amesterdão, Bruxelas e Lisboa, também está a investir em Portugal, através da criação de um centro tecnológico no Porto, que arrancou em 2017 com 140 colaboradores.

Aeronáutica e setor automóvel


A aeronáutica é outro setor com forte potencial de investimento estrangeiro, como é exemplo o grupo francês Mecachrome, com fábricas em Évora e Setúbal, empregando cerca de 380 pessoas (e quer chegar às 400) na produção de peças de alta tecnologia para motores e aeronáutica.


Tal como declarou Júlio de Sousa, presidente do Conselho de Administração da Mecachrome, ao "Portugal global" da AICEP, os principais fatores da escolha de Portugal para investir foram "os custos relativamente competitivos, um apoio importante por parte do Estado português, da região de Évora e da AICEP, a presença de um grande construtor aeronáutico a Embraer nas proximidades das nossas instalações, uma cultura parecida com a francesa, bem como a excelência dos centros de formação e universidades".


No setor automóvel, o Grupo PSA outro dos recrutadoras no Eórum Emprego , que tem na sua fábrica de Mangualde um centro de produção de veículos ligeiros, e a Renault, que mantém em Cacia a produção de componentes automóveis, são empresas francesas com maior expressão em Portugal, empregando centenas de pessoas.

Energia, distribuição e telecomunicações


Com 620 colaboradores em Portugal, a Engie representa o setor das energias renováveis em Portugal. A empresa tem vindo a apostar no país, detendo uma parceria estratégica com o grupo EDP.


Com sede em Carcavelos, a Legrand grupo multinacional especializado no fabrico e comercialização de materiais elétricos e hidráulicos é outra empresa francesa que marca presença no território português.

Auchan/Jumbo, Leroy Merlin, Decathlon, Intermarché, Leclerc, Conforama, La Redoute, Fnac e a Decathlon são algumas firmas francesas em Portugal no setor do retalho/comércio.


Outra grande empresa francesa em Portugal é a Altice, que detém a Meo. O grupo finalizou a aquisição da PT Portugal em 2015- Em 2019, tinha previsto a contratação de mais 200 colaboradores no nosso país.

Empresas portuguesas empregam mais de 2400 pessoas em França


É de assinalar que vem também aumentando o número de empresas portuguesas instaladas em Erança, estimando-se que existam mais de 350 empresas com investimentos diretos neste país que empregam mais de 2400 pessoas, segundo dados da Business Erance - Observatório Europa.

Para além de grandes grupos e empresas como o Grupo Amorim, Novadelta, Frulact, Logoplaste, Inapa, Renova, Simoldes, Visabeira, EDP Renováveis, Tafisa/Sonae Indústria, ou a banca (sendo de destacar, pela sua dimensão, a operação da Caixa Geral de Depósitos), muitas outras empresas, pequenas e médias, estão presentes em setores tão diversos como a construção e obras públicas, equipamentos metálicos, bens alimentares e bebidas, vestuário, bijuteria, mobiliário ou restauração.

Partilhar