NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Projecção do INE - Instituto Nacional de Estatística indica que a população residente em Portugal poderá passar dos actuais 10,3 milhões para 8,2 milhões em 2080. Contudo, na Área Metropolitana de Lisboa e no Algarve poderá aumentar.

Neste cenário, a população ficaria abaixo do limiar de 10 milhões de habitantes em 2042 (9 978 226) e de 9 milhões em 2064 (8 949 105).

 

No cenário baixo, o INE refere que a perda populacional será ainda mais acentuada, em resultado da manutenção de baixos níveis de fecundidade e de saldos migratórios, podendo a população residente em Portugal atingir 6,1 milhões em 2080.

 

Contudo, no cenário alto a população poderá aumentar, sobretudo devido a uma recuperação mais acentuada dos níveis de fecundidade em conjugação com saldos migratórios positivos elevados, projectando-se uma população residente de 10,6 milhões para 2080.

 

Além dos números referidos, entre 2018 e 2080, de acordo com o cenário central de projecção: O número de jovens diminuirá de 1,4 para cerca de 1,0 milhões. Mesmo admitindo aumentos no índice sintético de fecundidade, resulta, ainda assim, uma diminuição do número de nascimentos, motivada pela redução de mulheres em idade fértil, como reflexo de baixos níveis de fecundidade registados em anos anteriores.

 

A população jovem ficaria abaixo do limiar de 1,3 milhões em 2030 (1 296 310), de 1,2 milhões em 2045 (1 196 652) e do limiar de 1,1 milhões em 2056 (1 094 830).

 

Neste cenário, a população ficaria abaixo do limiar de 10 milhões de habitantes em 2042 (9 978 226) e de 9 milhões em 2064 (8 949 105).

 

No cenário baixo, o INE refere que a perda populacional será ainda mais acentuada, em resultado da manutenção de baixos níveis de fecundidade e de saldos migratórios, podendo a população residente em Portugal atingir 6,1 milhões em 2080.

 

Contudo, no cenário alto a população poderá aumentar, sobretudo devido a uma recuperação mais acentuada dos níveis de fecundidade em conjugação com saldos migratórios positivos elevados, projectando-se uma população residente de 10,6 milhões para 2080.

 

O INE refere ainda que o número de idosos (65 e mais anos) passará de 2,2 para 3,0 milhões.O índice de envelhecimento em Portugal quase duplicará, passando de 159 para 300 idosos por cada 100 jovens, em 2080, em resultado do decréscimo da população jovem e do aumento da população idosa. A região mais envelhecida em 2080 será a Região Autónoma da Madeira, com este índice a atingir os 429 idosos por cada 100 jovens, e a região menos envelhecida será o Algarve, com um índice de 204. Em Portugal, o índice de envelhecimento só tenderá a estabilizar na proximidade de 2050, quando as gerações nascidas num contexto de níveis de fecundidade abaixo do limiar de substituição das gerações já se encontrarem no grupo etário 65 e mais.

 

A população em idade activa (15 a 64 anos) diminuirá de 6,6 para 4,2 milhões de pessoas.O índice de sustentabilidade potencial (quociente entre o número de pessoas com idades dos 15 aos 64 anos e o número de pessoas com 65 e mais anos) poderá diminuir de forma acentuada, face ao decréscimo da população em idade activa, a par do aumento da população idosa. Este índice passará de 259 para 138 pessoas em idade activa, por cada 100 idosos, entre 2018 e 2080.

 

Em 2025 e no cenário central, a população residente em Portugal será de 10,4 milhões

 

Em 2025, a população residente em Portugal poderá variar entre 10,3 milhões, no cenário baixo, e 10,6, no cenário alto. Os efeitos dos diferentes cenários, quando comparados com a população de 2018, não são ainda expressivos.

 

Em 2035 e no cenário central, a população residente em Portugal será de 10,2 milhões

 

Em 2035, a população poderá variar entre 9,7 milhões, no cenário baixo, e 10,7, no cenário alto. Os impactos dos diferentes cenários são agora também visíveis em quase todas as idades, começando já a salientar-se um maior aumento da população idosa.

 

Em 2055 e no cenário central, a população residente em Portugal será de 9,4 milhões

 

Em 2055, a população poderá variar entre 8,2 milhões, no cenário baixo, e 10,7, no cenário alto. As diferenças entre os diversos cenários acentuam-se. Constata-se uma população cada vez mais envelhecida, com a base da pirâmide a estreitar-se, de forma particularmente acentuada no cenário baixo e menos sublinhada no cenário alto; o topo da pirâmide alarga-se de forma bastante evidente e acentua-se a redução e envelhecimento da população em idade activa.

 

Em 2080 e no cenário central, a população residente em Portugal será de 8,2 milhões

 

Em 2080, a população poderá variar entre 6,1 milhões, no cenário baixo, e 10,6 milhões, no cenário alto. Seja qual for o cenário analisado, a população será muito envelhecida. De notar que, em 2080, embora seja no cenário alto que se observa o maior número de idosos, este apresenta o índice de envelhecimento mais baixo, o que se explica por níveis de natalidade mais elevados.

Partilhar