NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A startup portuguesa liderada e fundada por Daniela Seixas recebeu 3,5 milhões de euros de investimento. Objetivo é aumentar a expansão em Espanha, França e Reino Unido.

A startup portuguesa Tonic App recebeu 3,5 milhões de euros de investimento numa ronda série A co-liderada pelo fundo luxemburguês Vesalius Biocapital Partners e pela Armilar Venture Partners, de Portugal. Com este aumento de capital, a empresa quer reforçar a presença que já tem noutros países europeus (em Espanha, no Reino Unido e em França).

 

Estamos neste momento a focar-nos mais no mercado espanhol. Já fechámos o nosso primeiro negócio e adquirimos os nossos primeiros médicos utilizadores”, conta ao Observador Daniela Seixas, co-fundadora e presidente executiva da Tonic App.

 

A Tonic App disponibiliza uma “ferramenta digital de saúde destinada a ajudar a comunidade médica a diagnosticar e a tratar os seus doentes”. Este serviço reúne numa única aplicação vários recursos profissionais para facilitar o trabalho dos médicos. “A adoção tem sido espetacular. Já temos 30% dos médicos em Portugal. Isto decorre do diálogo permamente que temos com estes profissionais”, diz  Daniela Seixas.

 

Para já, com este investimento, o principal foco é Espanha, mas a Tonic App quer chegar mais longe. O objetivo a cinco anos passa por “conquistar a Europa” e “quem sabe, ir para os EUA”, acrescenta Daniela Seixas. Contudo, este crescimento vai depender de como correr a entrada no mercado espanhol, britânico e francês. Além disso, a empresa diz em comunicado que há “novidades em breve” a pensar diretamente nos doentes.

 

Com estes 3,5 milhões de euros, a Vesalius Biocapital Partners e a Armilar Venture Partners juntam-se ao investidores Portugal Ventures e TheVentureCity. Atualmente, a empresa já tem grandes clientes na área da saúde, como a Novartis, a Lilly, a Medtronic, e, na área de recursos humanos, a Randstad.

 

Em comunicado, Guy Geldhof, managing partner do Fundo Vesalius Biocapital III, afirma que “a Tonic App já demonstrou em Portugal que consegue claramente satisfazer as necessidades dos clínicos, tendo atingido elevadíssimas taxas de penetração”. Já Duarte Mineiro, da Armilar Venture Partners, garante que “a oportunidade de participar na Tonic App reúne um conjunto muito sólido de atributos face aos critérios de investimento” que têm definidos. É “uma solução inovadora muito assente nos percursos académico e profissional de excelência da principal fundadora — e que neste caso já apresenta resultados promissores a nível de receitas em muito pouco tempo”.

 

A ideia de lançar a Tonic App — que desenvolveu uma aplicação móvel para conectar e informar médicos — surgiu em 2015. Ao Observador, em 2017, Daniela Seixas contava que tinha sido “uma empreendedora tardia”, porque perto dos 40 anos resolveu trocar uma carreira na medicina e no ensino para um projeto tecnológico próprio. A ideia nasceu com mais três colegas — Andrew Barnes, Christophe de Kalbermatten e Dávid Borsós — de um MBA que estava a fazer em Madrid na IE Business School.

 

A app portuguesa chega atualmente a cerca de 30% dos médicos portugueses e já está disponível em Espanha, França e Reino Unido. Em 2018, venceu o segundo prémio da competição de apps médicas da MEDICA, a maior feira de saúde do mundo e foi nomeada pela revista Forbes como uma das 60 startups lideradas por mulheres que estão “a agitar a tecnologia pelo Globo”.

Partilhar