NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O volume de comércio a retalho sazonalmente ajustado aumentou em 0,9% na Zona Euro e em 0,8% na UE em comparação com janeiro de 2020.

Se atualmente a maior parte das cadeias de lojas decidiu fechar devido à pandemia de Covid-19 e o retalho cinge-se ao alimentar, antes de a quarentena voluntária ter começada em grande parte da Europa, as vendas aumentaram. Portugal foi o terceiro país da União Europeia (UE) com maior crescimento.

 

“Em fevereiro de 2020 — mês anterior às medidas de confinamento da Covid-19 terem começado a ser largamente implementadas pelos Estados membros — o volume de comércio a retalho sazonalmente ajustado aumentou em 0,9% na Zona Euro e em 0,8% na UEem comparação com janeiro de 2020″, revelam as estimativas do Eurostat, divulgadas esta sexta-feira.

 

Apesar de os dados serem referentes a um período antes da grande onda de isolamento, já mostram alterações no consumo. Face a janeiro, o volume de comércio a retalho aumentou mais (2,4%) na comida, bebidas e tabaco, o que compara com uma subida de apenas 0,2% nos produtos não alimentares. Os combustíveis caíram 0,1%.

 

“Os maiores aumentos no volume total de comércio a retalho foram registados na Estónia (4,4%), Letónia (3,5%) e Portugal (3%). Foram observadas diminuições na Irlanda (-2,7%), Eslovénia (-1,8%), Croácia e Polónia (-0,2% em ambos)”, acrescenta o gabinete europeu de estatísticas.

 

Na comparação homóloga, ou seja face a fevereiro de 2019, as vendas a retalho ajustadas ao calendário aumentaram 3% na Zona Euro e 3,2% na UE. Neste caso, os maiores aumentos anuais foram registados na Roménia (11,9%), Hungria (11,4%) e Portugal (8,7%). Em sentido contrário, houve um decréscimo na Eslovénia (-5,2%).

Partilhar