NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os hotéis de 3, 4 e 5-estrelas da cidade de Lisboa estão no fim de Maio com recordes de receitas por quarto disponível (RevPAR), baseados em níveis de preço de quartos recorde, de 169,77 euros nos 5-estrelas, 92,8 euros nos 4-estrelas e 74,39 euros nos 3-estrelas, de acordo com os dados do Observatório do Turismo de Lisboa.

Esses preços médios dos primeiros cinco meses deste ano representam aumentos em relação ao período homólogo de 2018 em 1,5% nos 5-estrelas, em 4,6% nos 4-estrelas e em 0,3% nos 3-estrelas.

 

Mas se estas variações parecem moderadas, a verdade é que ocorrem em cima de aumentos significativos.

 

Cálculos do PressTUR mostraram os preços médios de quartos dos primeiros cinco meses deste ano reflectem aumentos em 44,8% ou 52,54 euros nos 5-estrelas relativamente ao período homólogo de 2010, 43,2 ou 28 euros nos 4-estrelas e 43,8% ou 22,67 euros nos 3-estrelas.

 

Estas subidas de preço foram propiciadas por ganhos de ocupação também significativos, se bem que em abrandamento nos últimos meses.

 

A taxa de ocupação média dos 5-estrelas nos primeiros cinco meses deste ano, de 66,93% tem um aumento em 42% ou 19,8 pontos relativamente ao período homólogo de 2010, nos 4-estrelas o aumento é em 16,3% ou 10,7 pontos, para 76,76%, e nos 3-estrelas é em 26,2% ou 17,1 pontos, para 82,42%, que, aliás, é um recorde para o período desde pelo menos 2007.

 

Desta forma, as três categorias apresentam nos primeiros cinco meses deste ano aumentos ‘explosivos’ da RevPAR relativamente ao período homólogo de 2010, em 105,6% ou 58,37 euros por quarto nos 5-estrelas, em 66,5% ou 28,45 euros nos 4-estrelas e em 81,5% ou 27,53 euros nos 3-estrelas.

 

Aliás, a recolha de dados do Observatório pelo PressTUR evidenciou que as RevPAR das três categorias nos primeiros cinco meses deste ano são recordes para o período desde 2007, com 113,62 euros nos 5-estrelas, 71,24 euros nos 4-estrelas e 61,31 euros nos 3-estrelas.

 

Essa recolha evidenciou que a primeira vez em que a RevPAR média dos primeiros cinco meses dos hotéis 5-estrelas da cidade de Lisboa foi superior a cem euros foi em 2017, com 105,08 euros, a primeira vez que a RevPAR média dos 4-estrelas foi superior a 70 euros foi em 2018, com 70,54 euros, e nos 3-estrelas a primeira vez que superou os 60 euros foi em 2017, com 62,83 euros.

 

No mês de Maio, segundo o Observatório, os hotéis de 3-estrelas tiveram no entanto uma queda da RevPAR em 2,5%, para 88,45 euros, por queda do preço médio em 4,3%, para 93,23 euros, apenas parcialmente compensada por um aumento da taxa média de ocupação em 1,9% ou 1,7 pontos, para 94,87%, um novo máximo para o mês desde 2007.

 

Igualmente em máximo para o mês desde 2007 esteve a taxa de ocupação dos 5-estrelas, com 83,18%, que sustentou uma subida da RevPAR em 1,3% ou 2,1 euros, para 163,67 euros, apesar de uma queda do preço médio de quartos em 1,3% ou 2,5 euros, para 196,77 euros.

 

Os 4-estrelas, que são a categoria com mais quartos na cidade de Lisboa, foram também os únicos a ter aumento da RevPAR em Maio (+1,7% ou mais 1,7 euros, para 102,24 euros) por aumento da taxa de ocupação, em 0,2% ou 0,2 pontos, para 91,1%, e, simultaneamente, subida do preço médio, em 1,5% ou 1,6 euros, para 112,18 euros, que é um novo máximo para o mês de Maio desde 2007.

Partilhar