NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Estes "kits" usam reagentes fabricados no país e custam cerca de 30 euros. A ideia é começar com 300 testes diários, mas o objetivo é chegar aos 1.000.

O Instituto de Medicina Molecular (IMM) da Universidade de Lisboa criou um kit de diagnóstico ao coronavírus totalmente português, usando reagentes fabricados em Portugal e seguindo a “receita” da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os kits já estão acreditados e, se tudo correr bem, permitirão realizar 1.000 testes de rastreio por dia, diz o Público.

 

Usando a mesma tecnologia aplicada no IMM na investigação do parasita da malária — extração e deteção do vírus –, assim como os reagentes produzidos no país para essa mesma tecnologia, foi então criado este kit de diagnóstico. Maria Manuel Mota, investigadora do IMM, espera “daqui a uns três dias fazer diagnósticos”.

 

Inicialmente estão previstos 300 testes por dia, passando depois a 500, mas o objetivo é alcançar os 1.000 testes diários. Os resultados demoram cerca de duas a três horas. Estes testes, disse a investigadora e autora da ideia, custam cerca de 30 euros, mas o IMM não está, por enquanto, preocupado com isso.

Partilhar