NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Mais de 86% do EBTIDA da Galp no primeiro trimestre deste ano corresponde a actividade internacional, o que leva a própria empresa a apontar os mercados externos como principal impulsionador do seu crescimento. No total, o EBITDA aumentou 9% para 494 milhões de euros.

O resultado líquido ajustado, por seu turno, caiu 24% para 103 milhões de euros, fruto do aumento dos custos fiscais. Segundo as normas contabilísticas internacionais (IFRS), o resultado líquido dos primeiros três meses de 2019 foi negativo em oito milhões de euros. A Galp justifica esta quebra com o aumento de 126 milhões de euros nos eventos não recorrentes, na sequência da unitização do campo de Lula no Brasil: “A participação da Galp neste bloco, através da Petrogral Brasil, passou de 10 para 9,2%, com efeitos a partir de 1 de Abril de 2019. Em resultado deste processo, a Galp reconheceu um impacto de 98 milhões de euros como evento não recorrente.”

 

O relatório de resultados aponta ainda para um aumento de 8% na produção total de petróleo e gás natural, com contributos das novas unidades no Brasil e Angola. A categoria de Exploração e Produção é, aliás, o pilar da Galp neste período, tendo compensado a diminuição da actividade de Refinação e Distribuição (-42%).

Partilhar