NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As candidaturas estiveram repartidas de forma homogénea pelas seis temáticas do concurso. “Das 23 participações recebidas, 10 são de Lisboa e as restantes de diversas proveniências, como: Braga, Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Porto, Bragança e Algarve”, esclarece a petrolífera espanhola ao Jornal Económico.

A oitava edição do Fundo de Empreendedores da Fundação Repsol recebeu 649 projetos candidatos. Neste último programa de aceleração da empresa, que pretende apoia startups que contribuam para a transição energética, o número global de candidatos aumentou 78%, sendo que se destacam as participações de pequenos negócios dos Estados Unidos da América (62), do Reino Unido (42) e do Canadá (25).

 

Ainda assim, a grande maioria das inscrições chegou de Espanha: 329 projetos. Entre as centenas de candidaturas, 23 foram de startups portuguesas. Contactada, a petrolífera espanhola não nomeou as empresas em causa. “Das 23 participações recebidas, 10 são de Lisboa e as restantes de diversas proveniências, como: Braga, Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Porto, Bragança e Algarve”, esclareceu ao Jornal Económico.

 

As candidaturas estiveram repartidas de forma homogénea pelas seis temáticas do concurso. Contudo, destaca-se o aumento de 82% face a 2018 de candidaturas relacionadas com novas tecnologias para a indústria do petróleo e gás, e de 43% de novos materiais. Aumentaram também as candidaturas relacionadas com economia circular e biotech (31%) e digitalização e mobilidade avançada (16%).

 

O processo de seleção estará concluído no próximo mês de julho, mas, para os vencedores, o programa de aceleração só terá início em outubro. Em termos de financiamento, a Fundação Repsol tem até 144 mil euros disponíveis para oferecer durante um ano (além da habitual mentoria, assessoria técnica e empresarial e formação em gestão).

 

Desde o arranque deste fundo, a Fundação Repsol já apoiou mais de 48 startups, das quais três são made in Portugal:

  • Inanoenergy Microgeradores autónomos que aproveitam a energia residual para gerar electricidade, especialmente para alimentar sensores que monitorizam as redes de tubagens em instalações industriais.
  • C2C-Newcap – Superbaterias de armazenamento de energia baseadas em óxidos metálicos, o que permite armazenar maiores quantidades de energia de forma mais segura.
  • FuelSave – Aplicação móvel para uma condução segura e ecológica destinada a condutores profissionais de frotas de veículos pesados, que ajuda a reduzir até 20% do consumo de combustível.

Partilhar