NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) celebrou a 10 de setembro os 264 anos da Região Demarcada do Douro, a mais antiga área demarcada e regulamentada para produção de vinho no mundo. Pelo segundo ano consecutivo, o assinalar do “Port Wine Day” incluiu a distinção de projetos no âmbito da iniciativa “Douro + Sustentável”, nas presenças da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, e do secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, entre outras personalidades.

Na categoria “Enologia”, Tiago Alves de Sousa foi o distinguido. Quinta geração da família Alves de Sousa, com ele a viticultura tem sido encarada sob um prisma mais detalhista. O trabalho nas vinhas do Abandonado e de Lordelo tem sido notável, motivando a preservação das características das vinhas velhas. As novas plantações inspiram-se no passado e Tiago acredita que é vinha que o vinho é feito.

 

O prémio “Viticultura” foi atribuído à Quinta do Crasto na sequência do projeto de identificação e rastreabilidade genética da Vinha Maria Teresa. Por entre mais de 29.000 pés de videira já foram identificadas 53 castas, num trabalho de investigação que está a ser elaborado em parceria com a UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Tendo 4,7 hectares, a Vinha Maria Teresa é um dos emblemas da propriedade, estando na origem de um dos mais notáveis vinhos do Crasto.

 

O World of Wine (WoW), proposta do grupo The Fladgate Partnership que foi recentemente inaugurada em Vila Nova de Gaia, obteve o prémio “Enoturismo” e a Bulas Cruz, no mercado com marca própria desde 2011, elaborando 19 referências, entre Portos e DOC Douro a partir de uvas de duas quintas durienses, venceu na categoria “Revelação”.

 

A celebração do “Port Wine Day” aconteceu no restaurante Antiqvvm, no Porto, estrela Michelin onde pontifica o chefe Vitor Matos.

Partilhar