NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

INE avança que os dados foram influenciados pelo efeito do calendário de Páscoa, no ano passado.

Os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 1,8 milhões de hóspedes e 4,7 milhões de dormidas em abril de 2018, correspondendo a variações de -5,4% e -8,4% (+11,7% e +9,9% em março, respetivamente), anunciou o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) esta sexta-feira.

 

"Estes resultados foram influenciados pelo efeito do calendário do período de Páscoa, dado que em 2018 esta época impulsionou as dormidas na hotelaria essencialmente no mês de março", justifica o INE.

 

As dormidas de residentes diminuíram 9,3% enquanto as dos não residentes recuaram 8,0%, contrastando com os crescimentos registados em março (+15,4% e +8,0%, respetivamente).

 

A estada média (2,62 noites) reduziu-se 3,1% (-2,9% no caso dos residentes e -3,5% nos não residentes). A taxa líquida de ocupação-cama (49,9%) recuou 4,7 p.p. Os proveitos totais abrandaram para um crescimento de 2,0% (+17,5% no mês precedente), tendo atingido 276,7 milhões de euros.

 

Os proveitos de aposento atingiram 199,9 milhões de euros e aumentaram 2,1% (+21,2% em março).

 

Refira-se que, no conjunto dos meses de março e abril, as dormidas registaram uma ligeira diminuição de 0,8% (+0,8% no que respeita a residentes e -1,4% relativamente a não residentes).

Partilhar