NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A crise do Covid-19 chegou ao sector turístico português, que teme o encerramento de unidades hoteleiras e outros estabelecimentos similares, devido à fraca ou inexistente adesão dos turistas, que já cancelaram algumas reservas no Algarve, de acordo com o ‘Público’.

Elidérico Viegas, presidente da Associação dos Hóteis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), revelou no final da semana que «mais de 60% das reservas para os próximos três meses foram canceladas», sublinhando ainda que a situação «é deveras preocupante pelo que está a suceder e, sobretudo, porque está a progredir negativamente», uma vez que «não há vendas para o verão», afirma citado pelo ‘Público’.

 

Para além do verão, também a Páscoa costuma ser uma época bastante procurada para viagens ao Algarve, nomeadamente devido à realização de congressos e eventos empresariais, contudo este ano o cenário é diferente, «cerca de 40% das marcações foram canceladas», refere Elidérico Viegas.

 

«As pessoas estão mais preocupadas com a eventual contaminação no transporte aéreo e nos aeroportos», de acordo com informações dos operadores internacionais.

 

O presidente da Administração Regional de Saúde do Algarve (ARS), Paulo Morgado, revelou que a partir desta segunda-feira o Laboratório Regional de Saúde «está em condições de fazer o teste do Covid-19», afirma citado pelo ‘Público’. Contudo, Elidérico Viegas contrapõe dizendo: «Ainda estamos à espera do manual de procedimentos que pedimos às autoridades, no caso de termos hóspedes com sintomas», refere.

 

Elidérico Viegas sugere ainda uma abolição de portagens na Via do Infante, referindo que «seria uma forma de promover o turismo de proximidade, atraindo os espanhóis que estão aqui ao lado», afirma citado pelo ‘Público’.

Partilhar