NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Erasmus para Jovens Empreendedores financia estadas até seis meses e, apesar do nome, não tem limite de idade

E se pudesse viajar, testar capacidades e aprender coisas úteis para se lançar como empreendedor, com financiamento garantido? A Comissão Europeia é a patrocinadora do programa Erasmus para Jovens Empreendedores, que garante uma bolsa mensal entre 530€ e 1100 euros, consoante o país de estada, durante um a seis meses.
 
Nos últimos dois anos, a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) tem sido o ponto de contacto em Portugal para os interessados em participar no programa. Segundo a associação, até ao final de janeiro deste ano houve 245 candidaturas de portugueses para ir para fora, e 234 propostas para acolhimento de empreendedores estrangeiros em Portugal. Entre janeiro de 2016 e dezembro de 2017, adianta a ANJE, houve 546 fazedores de outros países da União Europeia que escolheram Portugal como país de destino no âmbito deste programa.
 
Sofia Correia já passou pela experiência. Quando terminou o curso de Engenharia Ambiental enfrentou o dilema de muitos recém-licenciados: encontrou ocupação fora da área de formação e não se sentia realizada. “Despedi-me, há dois anos, para fazer uma viagem para perceber o que queria fazer”, recorda a empreendedora, que descobriu, fascinada, as livrarias por essa Europa fora. Pouco depois, rumou a Madrid, para um Erasmus de empreendedores de dois meses na Livraria Liberespacio. Há dois meses, abriu a Faz de Conto, em Coimbra, e hoje, aos 29 anos, sente-se “feliz e realizada”. “O Natal correu muito bem, apesar de ser o primeiro mês da livraria e de muita gente ainda não a conhecer. Janeiro também foi muito bom e se costuma ser o pior mês para os negócios, então estamos muito bem encaminhados”, congratulou-se a jovem empresária.
 
Em Madrid, Sofia Correia aprendeu “algumas coisas para melhorar a livraria, como comunicar com os comerciais e os autores e gerir o stock”, e ainda trouxe “uma série de contactos”. Percebeu, ainda, que “hoje em dia, as livrarias não se limitam a vender livros – têm de ser um espaço interativo”, onde os eventos e a animação não podem faltar.
 
Aprender a organizar eventos seria uma das principais lições que Daniel Pires, fundador e proprietário do bar Maus Hábitos, no Porto, proporia ao empreendedor espanhol Markel Mina. Mas o jovem “acabou por se dedicar mais à área da comunicação digital e das redes sociais”. Acolher um jovem empreendedor da União Europeia “traz vantagens para ambos os lados”, reconhece Daniel Pires, ainda que “nem todos os aspirantes a empreendedores estejam preparados para tarimbar no duro”.
 
Mas mesmo que possa ser essa a única lição do programa europeu Erasmus para Jovens Empreendedores, já vale a pena, considera o empresário, até porque o intercâmbio “sempre abre horizontes, ajuda a melhorar línguas e cria redes de contacto”. Os empreendedores de acolhimento têm um perfil semelhante ao dos candidatos que recebem, mas não usufruem de compensação financeira pela mentoria prestada.
 
Este mês arrancou um novo ciclo de candidaturas ao programa, que se prolonga até fevereiro de 2020, ano até ao qual a ANJE continuará como ponto de contacto em Portugal.
 
Quem se pode candidatar?
 
Podem inscrever-se no programa Erasmus para Jovens Empreendedores residentes na UE que tenham iniciado um negócio próprio nos últimos três anos, ou novos empreendedores que planeiem criar a sua própria empresa e que apresentem um “plano de negócios viável”. Os candidatos têm de demonstrar capacidade de financiar as despesas que ultrapassem o valor da bolsa concedida. O montante varia conforme o país de destino, entre 530€ e 1100€ euros mensais. As estadas podem ir de um a seis meses. Não há limite de idade para participar neste programa.

Partilhar