NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No sábado a energia eólica gerou sozinha metade da eletricidade consumida em Portugal, contra apenas 10,8% da média europeia, tendo o preço da eletricidade no mercado grossista afundado para o valor mais baixo em quase um ano.

Portugal foi o país europeu com maior peso da energia eólica na produção de eletricidade no último fim-de-semana, liderando tanto no sábado, quando o vento gerou 50% da eletricidade consumida no país, como no domingo, quando a eólica teve uma quota de 39%, segundo os dados da Wind Europe, a associação eólica europeia.

 

Neste fim-de-semana de Páscoa a produção eólica a nível europeu não foi particularmente elevada: no sábado o vento abasteceu 10,8% da eletricidade consumida nos países monitorizados pela Wind Europe, e no domingo teve um contributo de 10,1%.

 

A seguir a Portugal, o segundo país com maior peso da produção eólica no sábado foi Espanha, com 40%, seguida da Alemanha, com 16%. No domingo, além de Portugal, os países com maior peso da energia eólica foram Chipre, com 24,6%, e Espanha, com 21%, mostram os dados da Wind Europe.

 

Em termos absolutos, o maior volume de eletricidade eólica deste domingo de Páscoa veio da Alemanha, com 155 gigawatts hora (GWh), seguindo-se Espanha, com 113,6 GWh.

 

PREÇO AFUNDOU NO SÁBADO

 

Os dados do Omie, o operador da plataforma grossista diária do Mercado Ibérico de Eletricidade (Mibel) mostram ainda que no que respeita ao preço de mercado da energia elétrica houve uma queda acentuada este fim-de-semana.

 

No sábado o preço médio de cada megawatt hora (MWh) em Portugal caiu para 35,2 euros (e em Espanha para 31,7 euros), o valor mais baixo desde 29 de abril de 2018, quando o preço grossista da eletricidade para o mercado português foi de 28,1 euros por MWh.

 

No domingo o preço grossista da eletricidade subiu para 39,7 euros por MWh (tanto em Portugal como em Espanha) e esta segunda voltou a aumentar, para 55,7 euros por MWh, um valor mais em linha com o que vem sendo registado nas últimas semanas.

 

Para a queda do preço da eletricidade no Mibel contribuíram dois fatores: por um lado, a descida no consumo de eletricidade face aos dias de semana, e, por outro lado, a maior produção a partir de fontes renováveis (designadamente a eólica e a hídrica), fazendo com que houvesse menos espaço no mercado para tecnologias com preços mais caros (como as centrais termoelétricas a carvão e a gás natural).

Partilhar