NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O CDP – Disclosure Insight Action revela que em 2019 as empresas europeias investiram cerca de 124 mil milhões de euros em medidas “verdes”. No entanto, o relatório estima que as empresas precisariam de duplicar a participação de baixo capital em carbono de 12% para 25% para ser consistente com a meta de descarbonização até 2050 da União Europeia.

A empresa liderada António Mexia, reportou um total de 125 milhões de euros, no ano passado, em investimentos “verdes” que incluem pesquisa e desenvolvimento para novos projetos à base de energias renováveis, de acordo com o relatório intitulado de “Duplicar para baixo: oportunidades de investimento em baixo carbono da Europa”, divulgado recentemente pela organização sem fins lucrativos, CDP – Disclosure Insight Action.

 

A Navigator e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) são as outras duas empresas portuguesas que constam na análise desta organização que constata que 882 empresas europeias cotadas nas bolsas europeias reportaram 59 mil milhões de euros em novos investimentos em capital de baixo carbono e 65 mil milhões gastos em novas pesquisas e desenvolvimento (R&D, sigla em inglês) no ano passado.

 

A principal produtora de energia de biomassa em Portugal, viu as vendas de eletricidade produzida exclusivamente a partir de biomassa a totalizarem aproximadamente 22,4 milhões de euros em 2018, ou 13% do total de vendas de eletricidade. Por sua vez, a CGD relatou que está a implementar um Programa de Baixo Carbono para comercializar vários produtos e serviços de promoção de baixo carbono, como créditos de energia renovável e frotas elétricas.

 

De acordo com o relatório, as empresas europeias registaram um total de 124 mil milhões euros em novos investimentos de baixo carbono no ano passado mas deverão ter que duplicar os investimentos em capital de baixo carbono (CAPEX) para que sejam consistentes com a nova meta climática da União Europeia.

 

As empresas analisadas têm emissões anuais equivalentes a três quartos do total da União Europeia e representam aproximadamente 76% da capitalização do mercado europeu. As maiores áreas destes novos investimentos foram em R&D para tecnologias de veículos elétricos (43 mil milhões de euros), investimentos de capital em energia renovável (16 mil milhões de euros), infraestrutura de rede de energia (15 mil milhões de euros) e programas para o desenvolvimento de energias de uso inteligente (8 mil milhões de euros).

 

As empresas europeias também identificam 1,22 biliões de euros em novas oportunidades de negócios de baixo carbono, como o aumento da procura por veículos elétricos e infraestruturas verdes. O valor dessas oportunidades é seis vezes superior ao custo de investimento de 192 mil milhões de euros.

Partilhar