NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Segundo o grupo Hays, 2019 será um bom ano em matéria de criação de emprego. Perfis comerciais, de tecnologias de informação e engenheiros lideram a lista dos mais procurados pelas empresas.

A larga maioria dos empregadores portugueses está numa dinâmica de contratação: 82% dizem pretender recrutar em 2019. O número foi lançado por Sandrine Veríssimo, diretora regional da Hays, esta quarta-feira, no fórum “Atrair e reter talento em 2019”, no Museu do Oriente, em Lisboa.

 

Mais de 30% das empresas planeia recrutar mais de 10 colaboradores e 14% mais de 30, adiantou Sandrine Veríssimo, citando o Guia do Mercado Laboral, recentemente lançado pela Hays.

 

O Centro será a zona mais dinâmica do país. Segundo a Hys, 84% das empresas desta região tem a intenção de contratar este ano, enquanto na região Norte, 78% das empresas revelam idêntico propósito, mais 10 pontos percentuais do que em 2017. O Sul é a região onde se deverão verificar menos contratações, ainda assim com 69% das empresas a dizer que o querem fazer.

 

Os perfis comerciais serão os mais procurados pelas empresas durante o ano, seguidos dos profissionais da área das tecnologias de informação e das engenharias, sobretudo as relacionadas com informática e computadores. No radar de procura das empresas estão igualmente administrativos e profissionais de marketing e de comunicação.

 

Turismo e lazer mantém-se como um dos principais setores em termos de criação de  oportunidades, especialmente no que respeita a perfis mais operacionais. “O enorme dinamismo, a abertura ou renovação das unidades hoteleiras” justifica, segundo os responsáveis da Hays Portugal, os perfis mais solicitados para este ano: sales manager, sales executive, sales director, revenue mannager, director geral de operações e chefes de cozinha, entre outros.

 

Na área das tecnologias de informação, enquanto perfis mais procurados, destaque para project manger, comerciais ERP, business analytics, machine learning engineers e python developer/data scinetist, entre outros.

 

No fórum da Hays Portugal foi igualmente revelado que no ano passado 62% dos empregadores sentiram dificuldades em encontrar profissionais qualificados para as funções que procuravam; 49% queixaram-se de uma desadequação entre o que precisavam e o que encontravam em termos de perfis e  37% apontaram a existência de pouca articulação entre o ensino e a realidade do mercado.

 

Em concreto, 62% sentem que as instituições de ensino superior não preparam adequadamente profissionais para o mercado de trabalho existente.

Partilhar