NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O acordo tinha sido anunciada há pouco mais de um mês e agora é oficial. A Sonaecom efetivou a venda da WeDo à Mobileum com um impacto positivo nos resultados de 6,2 milhões de euros.

O negócio da venda da WeDo Consulting foi anunciado no dia 10 de julho, e agora é mesmo oficial. A Sonaecom comunicou ao mercado que se confirmaram “as condições estipuladas pelas partes” e por isso a venda da empresa de sistemas de informação está efetivada. A Sonaecom vendeu a WeDo à Mobileum por uma soma que, no limite, pode chegar perto dos 100 milhões de dólares (86 milhões de euros).

 

No comunicado enviado à CMVM, a Sonaecom revela que esta “transação represente um impacto positivo nos resultados consolidados de cerca de 6.2 milhões de dólares (USD), calculado por referência à presente data e baseado na componente fixa do preço, havendo ainda 27 milhões de dólares (USD) de earn-out”.

 

A dez de julho, quando o acordo foi anunciado, a Sonaecom já tinha revelado os termos do acordo, como o ECO noticiou: “O preço da transação compreende uma componente fixa de 70 milhões de dólares e uma componente diferida e variável, em função da performance do negócio combinado até 31 de dezembro de 2021, cujo valor máximo é de 27 milhões de dólares”.

 

Já o empreendedor que fundou a WeDo, em 2001, vai continuar a liderar a tecnológica, mesmo depois da venda da empresa pela Sonaecom aos norte-americanos da Mobileum. Rui Paiva revelou, então, ao ECO o próprio gestor, que continuaria à frente da companhia, com a restante gestão de topo. E explicou a lógica do negócio. “As empresas chegam a uma determinada altura e precisam de acelerar o crescimento. Foi tomada a decisão de que será com outro acionista”, afirmou Rui Paiva.

 

O cofundador lembrou também que “o foco do atual acionista”, o grupo Sonae, não é a tecnologia, mas sim “o retalho”. Em contrapartida, a Mobileum é uma empresa de tecnologia, sublinhou Rui Paiva, garantindo que o negócio foi feito “com o acordo” de todas as partes.

Partilhar