NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Startup que partiu de empresa de desenvolvimento de software já atraiu empresa suíça para Portugal.

A Lisbon Tech Guide quer ajudar as startups internacionais a mudarem-se para a capital portuguesa graças a um pacote completo de serviços. Nascida neste ano, esta startup tem uma ligação muito próxima ao mercado suíço e também quer, no longo prazo, prestar apoio ao investimento.
 
“Queremos ser uma solução simples e descomplicada para ajudar as startups a montarem as suas próprias equipas de tecnologia e de gestão. É uma one stop shop para ajudar as empresas a estabelecerem-se em Lisboa: encontramos escritórios, tratamos da montagem das equipas e ajudamos a gerir o pessoal”, explica Sebastião Queiroz e Mello, o líder da Lisbon Tech Guide.
 
O trabalho desta startup já está a dar frutos. Exemplo disso é a plataforma de inteligência artificial Oto Systems, que vai abrir um escritório em Lisboa, com cinco elementos. A empresa de Zurique também está em Nova Iorque.
 
A Lisbon Tech Guide nasceu a partir da The Code Venture, empresa de desenvolvimento de software que começou em 2016 e que tem apostado na Suíça. “Já trabalhámos com mais de 40 startups em três anos e temos ajudado estas empresas a construírem protótipos”, lembra o fazedor. Só que depois de as startups “validarem o conceito e de levantar a primeira ronda de financiamento, estas empresas querem manter a cultura da empresa”.
 
Habitualmente, a The Code Venture ajuda as startups no estrangeiro a desenvolverem-se e a crescerem. Só que os fazedores portugueses começaram a aperceber-se de que algumas das startups com que trabalham “não têm interesse numa empresa de desenvolvimento porque a propriedade intelectual fica do nosso lado depois do fim da parceria”. Foi a partir desta necessidade que começou a Lisbon Tech Guide, que não precisou de qualquer financiamento externo.
 
Tal como a casa-mãe, a nova startup portuguesa vai apostar no mercado da Suíça, onde foi criada uma “grande” rede de contactos. “A Suíça tem um dos ecossistemas mais inovadores da Europa, tem muito dinheiro para capital de risco e as empresas locais têm muita vontade de vir para Portugal.”
 
Sebastião Queiroz e Mello acredita ainda que os suíços já têm uma perceção diferente dos trabalhadores portugueses. “Não nos querem apenas para trabalhos menores, como na década de 1960.”
 
Inscrita na agência de investimento AICEP e na Câmara de Comércio e Indústria suíça em Portugal, a Lisbon Tech Guide poderá, no longo prazo, ajudar a atrair empresas internacionais para outras zonas do país e prestar apoio ao investimento das startups.

Partilhar