NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Câmara do Porto tem em curso 98 processos de licenciamento para novos empreendimentos turísticos, dos quais 84 são hotéis, o que vai permitir um aumento de 84% da oferta hoteleira na cidade, sobretudo no centro histórico.

De acordo com o boletim estatístico de Julho de 2020, a que a Lusa teve hoje acesso, no primeiro semestre de 2020 mantém-se a aposta no sector hoteleiro, estando a decorrer 111 processos de licenciamento de empreendimentos turísticos, dos quais 88% destinam-se a novas unidades.

 

Segundo a autarquia, os 98 processos para novos empreendimentos turísticos encontram-se em diferentes estados de tramitação: 23% em curso, 29% com projecto de arquitectura aprovado, 9% com decisão final, nos restantes 39% decorre o prazo do alvará de obras.

 

Dos 98 processos de licenciamento, 84 dizem respeito a hotéis, 13 a apartamentos turísticos e apenas um a turismo de habitação.

 

Com base na informação recolhida, conclui-se também que 86% dos processos são para hotéis, agregando 92% do total da capacidade prevista, com a aposta a concentrar-se principalmente em unidades de quatro estrelas (52%) e cinco estrelas (19%), representando 82% das novas unidades hoteleiras previstas na cidade.

 

O documento que tem como objetivo monitorizar e caracterizar o licenciamento de empreendimentos turísticos, documentando a perspectiva de crescimento da oferta na cidade, refere ainda que estes projetos poderão representar um investimento estimado de quase 193 milhões de euros.

 

De acordo com os dados avançados no boletim de Julho, a concretização dos processos em curso para novos empreendimentos turísticos permitirá um aumento de 84% da oferta hoteleira na cidade, passando de 117 para 215 unidades.

 

Já a capacidade de alojamento passará das actuais 13.761 para 21.488 camas, representando um crescimento de 56%.

 

Os dados demonstram que os hotéis do segmento mais alto são os que apresentam o maior crescimento, cinco estrelas (133%) e quatro estrelas (119%). Destaque igualmente para as unidades de uma estrela com um crescimento previsto de 75%. O mesmo se verifica na capacidade destas unidades, com aumentos previstos de 74% nos hotéis de quatro estrelas e 49% nos de cinco estrelas, enquanto os hotéis de uma estrela poderão registar um aumento de 45%.

 

Os novos empreendimentos turísticos vêm incrementar a oferta com especial incidência nas freguesias de Santo Ildefonso (33%), Cedofeita (12%), Bonfim (11%) e Sé (11%), que representam 67% do total das novas unidades hoteleiras previstas. Em Aldoar não existe, nem está previsto, qualquer empreendimento turístico.

 

No centro da cidade, estes novos empreendimentos localizam-se essencialmente nos Aliados (seis), Gonçalo Cristóvão (seis), Bonjardim (cinco), Santa Catarina (quatro), para além de D. João IV (três), Infante D. Henrique (três), e por fim, Alexandre Herculano, Duque de Loulé, Entreparedes, Flores, Monchique e S. João com dois empreendimentos cada.

 

Estas artérias poderão concentrar 40% do total da oferta hoteleira prevista, assinala o boletim cujos dados são suportados pelos elementos constantes nos processos em curso no Departamento Municipal de Gestão Urbanística e na informação disponível no Portal do Turismo de Portugal - Registo Nacional de Empreendimentos Turísticos (RNET).

Partilhar