NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

De acordo com as previsões da Airbus, a China irá precisar de mais de 7 400 aviões ao longo dos próximos 20 anos.

As previsões da empresa aeronáutica Airbus traçam as expetativas para a China nos próximos 20 anos: estima-se que venha a precisar de mais de 7 400 aviões comerciais e de mercadorias de 2018 a 2037, mais de 19% do total da procura mundial por mais de 37 400 novos aviões.

 

“A China é um dos motores de crescimento mais poderosos do transporte aéreo mundial e passará a ser o mercado de aviação número um num futuro muito próximo”, afirma Christian Scherer, diretor comercial da Airbus, citado em comunicado.

 

Segundo o responsável, “a presença da Airbus na frota em serviço na China continental tem aumentado constantemente e agora ultrapassa os tipos de avião estabelecidos e concorrentes (…). Ao mesmo tempo, o valor total da nossa cooperação com a indústria da aviação chinesa vai crescer para os mil milhões de dólares até 2020.”

 

No segmento Small, onde a maioria dos aviões são de corredor único, há necessidade de 6 180 novos aviões; no segmento Medium, representado por aviões widebody [menores e de corredor único com mais alcance], a Airbus prevê que sejam precisos 870 aviões comerciais e de mercadorias; no segmento Large, onde se incluem a maioria dos aviões A350, há uma necessidade por 240 aviões; no segmento Extra-Large, que normalmente inclui viagens com capacidade de transporte alta ou de longo alcance por parte dos aviões de maior dimensão, incluindo o A350-1000 e o A380, a procura deverá ser de 130 aviões.

Partilhar