NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Grupo Schréder, de iluminação exterior, anunciou esta sexta-feira, 20 de março, a suspensão temporária da produção em quatro das suas fábricas europeias - Portugal, Espanha, França e Hungria - para combater a propagação da covid-19.

"Devido à rápida evolução da situação [a propagação da covid-19], a empresa decidiu suspender temporariamente e até 5 de abril, a produção em quatro das suas fábricas europeias, nomeadamente: Espanha, França, Hungria e Portugal", divulgou a empresa, em comunicado.

O grupo, que tem fábricas em Carnaxide e Alverca, diz que vai assegurar a continuidade da atividade, mantendo o serviço ao cliente, o aprovisionamento e as expedições, bem como a organização da cadeia de fornecimento.

Assim, as fábricas que o grupo tem na China, na África do Sul e na Ucrânia vão permanecer em produção.

"Queremos dar o nosso máximo apoio às autoridades nos seus esforços para conter a covid-19. Acreditamos que a suspensão temporária da operação nestas quatro fábricas irá apoiar esses esforços, e esperamos que outras empresas industriais em setores não críticos sigam nosso exemplo", sublinhou a empresa.

O grupo belga disse ainda que vai reavaliar os plano de contingência em conformidade com o desenvolvimento da situação.

Com 2.600 colaboradores em todo o mundo, a empresa tem vindo a implementar medidas globais, desde a declaração da situação de pandemia pela Organização Mundial de Saúde, com vista a garantir a proteção dos trabalhadores e clientes.

"Como grupo industrial familiar, o Grupo Schréder quer assumir a responsabilidade e dar prioridade absoluta à saúde dos nossos colaboradores e das sociedades em que operamos", reiterou.

A empresa está presente em Portugal desde 1956 e tem fábricas em Carnaxide e Alverca.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 89.000 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a tornar-se hoje o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 3.405 mortos em 41.035 casos.

A Espanha regista 1.002 mortes (19.980 casos) e a França 264 mortes (9.134 casos).

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

Partilhar