NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

82% dos compradores regulares compra em sites estrangeiros, dos quais 82% europeus, mas 70% com origem na China, acima dos 60% da média europeia.

Cerca de 10% das compras feitas pelos portugueses fazem compras online e na hora de comprar optam sobretudo por sites estrangeiros, com 70% das aquisições a se concentrarem na China, seguida de Espanha 61% e Reino Unido (50%), de acordo com o barómetro DPDgroup e-Shopper 2019.

 

“81% das compras online são feitas por 35% dos e-shoppers regulares”, destaca Carla Pereira, diretora de marketing da DPD Portugal, durante a apresentação do estudo esta segunda-feira num encontro com jornalistas. Mas apenas 9,8% das compras efetuadas pelos consumidores nacionais são feitas online, um valor abaixo da média europeia de 13,5%.

 

Oitenta e dois por centos dos compradores regulares compra em sites estrangeiros, dos quais 82% em sites europeus vs 62% da média europeia), mas 70% com origem na China, acima dos 60% da média europeia.

 

Espanha (61%) e Reino Unido (50%) são os mercados europeus onde os portugueses mais compram online. Compram sobretudo moda (55%), livros e produtos de beleza e saúde (com 42%) valores abaixo da média europeia para esse tipo de produtos que se situa nos 58% e 46%, respetivamente.

 

O e-shoppers regulares portugueses são a força motriz do comércio online, compram uma média de 6,7 encomendas online no último mês, e uma média de 7,3 categorias, tendo considerado 85% das suas últimas experiências de compra foram fáceis, valor mais elevado que a média europeia, com 78%. “Os aficionados portugueses são utilizadores mais activos das redes sociais que a média europeia. Publicam o feedback sobre a compra muito frequentemente”, destaca o estudo. No caso dos aficionados, 80% publica algum tipo de feedback nas redes sociais após as compras.

 

O estudo detectou ainda um perfil de comprador online epicurista, “um comprador selectivo, de frequência média e interessado numa experiência on-line agradável e altamente exigente em termos de entrega, devoluções e recomendações”, descrevem. Mais de metade (57% ) estão dispostos a pagar mais por serviços que facilitem a vida.

 

O estudo, realizado junto a 25 consumidores online (dos quais mil em Portugal) em 21 países, revela ainda um terceiro perfil de comprador que denominam de eco-selectivo, “um e-shopper ocasional que está preocupado com o meio ambiente, disponível para pagar mais por serviços mais ecológicos e que também procura várias opções de entrega.”Mais de metade deste tipo de compradores online (62%) estão preocupados com o impacto do e-commerce na sociedade. Mais, 92% consideram que as marcas e empresas a quem compram têm de ser ambientalmente responsáveis.

 

“Os e-shoppers não são únicos e a estratégia passa por termos de agradar a vários perfis de consumidores”, conclui Olivier Establet, CEO do grupo DPD.

Partilhar