NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A indústria têxtil do Vietname pode sofrer perdas a rondar os 200 milhões de dólares como consequência direta do novo coronavírus. A conclusão consta de um relatório da ONU sobre os impactos na indústria têxtil nos países do Sudeste Asiático. Tailândia e Indonésia são também fortemente afectados.

Publicado na semana passada, o relatório da ONU é citado pela agência noticiosa EFE, que aponta para perdas de 10 milhões de euros na Indonésia, 14 milhões na Tailândia e 183 no Vietname, onde os efeitos da paragem na China têm maiores repercussões.

 

O principal impacto decorre da falta de matérias-primas, já que a China é quase único mercado fornecedor e está no epicentro da epidemia. “95% das fábricas têxteis vietnamitas utilizam tecido chinês”, disse David Lee, diretor de vendas da Phukhang Manufacture and Trading, uma empresa que trabalha com grandes marcas do Reino Unido e Espanha.

 

Com o grande crescimento dos últimos anos, indústria têxtil do Vietname emprega já cerca de três milhões de trabalhadores, e gera exportações de 39 mil milhões de dólares, graças fundamentalmente a custos de produção que nalguns casos são mais baixos do que na China.


Também na Birmânia, onde o sector emprega cerca de 500 mil trabalhadores, a crise levou à demissão de mais de três mil pessoas devido ao fecho permanente de sete fábricas, segundo informações do Ministério do Trabalho daquele país. No Camboja, onde a indústria têxtil representa 45% das exportações e emprega 700 mil pessoas, dez fábricas suspenderam a produção, afectando cerca de três mil trabalhadores, mas é provável que a situação venha a piorar.

Partilhar