NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A União Europeia (UE) e os Estados Unidos vão reunir-se na próxima semana, em Washington, para começar a negociar uma "nova fase" comercial, diz Bruxelas, que quer o fim das tarifas nos bens industriais e das barreiras nas exportações.

Numa resposta escrita enviada hoje à agência Lusa, fonte oficial da Comissão Europeia dá conta de que "a UE e os Estados Unidos estão a avançar para uma nova fase na implementação da positiva agenda comercial transatlântica aprovada pelos presidentes Juncker e Trump [respetivamente, da Comissão Europeia e dos EUA] na declaração conjunta adotada em julho de 2018".

 

Por isso, "na semana de 6 de maio, as equipas da UE e dos EUA vão reunir-se, em Washington, para continuar o trabalho de cooperação regulamentar em vários setores e preparar o terreno para uma reunião da comissária Malmström e do embaixador Lighthizer, que terá lugar nas próximas semanas", acrescenta a fonte na mesma resposta.

 

Cecilia Malmström estará nesse encontro em representação da Comissão Europeia, enquanto Robert Lighthizer representará os Estados Unidos. Ambos tutelam a área do Comércio.

 

O arranque das negociações vem no seguimento da aprovação pelos Estados-membros da UE, em meados de abril, do mandato para que a Comissão Europeia negoceie o anteprojeto que apresentou em janeiro deste ano.

 

O documento prevê a eliminação das tarifas aplicadas aos produtos industriais, sem contar com a área agrícola, e a redução das barreiras, no que toca ao cumprimento de requisitos técnicos, para trocas comerciais entre os dois continentes.

 

Na resposta à Lusa, a fonte comunitária refere que, na semana seguinte, de 13 maio, "haverá um segundo conjunto de reuniões de especialistas para discutir as outras linhas de trabalho apontadas na declaração conjunta" de Juncker e Trump.

 

Em causa estão temas como "a reforma da Organização Mundial do Comércio - abordando práticas comerciais desleais em terceiros países - e o aumento do comércio bilateral em gás natural liquefeito e em grãos de soja".

 

"A Comissão Europeia está convencida de que uma implementação rigorosa das várias linhas de trabalho iniciadas no âmbito da declaração conjunta beneficiará ambos os lados e poderá ajudar a enfrentar os atuais desafios para o sistema multilateral de comércio", adianta a resposta enviada à Lusa.

 

No final de julho do ano passado, reunidos em Washington, os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e dos Estados Unidos, Donald Trump, divulgaram uma série de medidas na agricultura, indústria e energia para apaziguar o conflito comercial, mas os respetivos anúncios foram globalmente vagos.

 

Nessa altura, a UE e os Estados Unidos acordaram uma trégua nas questões comerciais, após meses de crescentes tensões provocadas pela intenção de Washington de impor tarifas alfandegárias ao aço e ao alumínio.

 

Nessa trégua, as duas potências comprometeram-se a manter conversações, preservando a situação de "taxas nulas".

Partilhar