NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Fica de frente para Lisboa e vai ocupar toda a área onde, até 2000, estiveram instalados os estaleiros da Lisnave.

A sociedade imobiliária Baía do Tejo, detida pela Parpública, apresenta na manhã desta terça-feira o projeto Cidade da Água, em Cacilhas, concelho de Almada.

 

Esta será uma apresentação internacional, realizada junto aos antigos estaleiros da Lisnave, para os quais o Estado procura uma solução há vários anos.

 

Em causa está a ocupação de 57 hectares de frente ribeirinha, que se estendem desde Cacilhas até à Cova da Piedade, numa área correspondente ao espaço onde, desde 1961, funcionaram os estaleiros da Lisnave – que a partir de 2000 seriam transferidos para a Mitrena, em Setúbal.

 

No projeto que agora vai a concurso internacional está prevista uma área total de construção que ascende aos 630 mil metros quadrados, distribuídos por habitação, serviços, comércio e espaços dedicados à atividade da náutica de recreio.

 

A administração da Baía do Tejo recusa-se a avançar com números mas, várias fontes do mercado imobiliário garantem que o investimento em causa poderá rondar os €1,5 mil milhões, ou seja, o maior do género, em todo o país.

 

Na sessão desta terça-feira o que a Baía do Tejo pretende, é que todos os interessados que comparecerem “possam ter o mesmo nível de informação sobre o projeto”. Sendo que o caderno de encargos será apresentado aos interessados até ao final do primeiro semestre deste ano.

 

No passo seguinte, a Baía do Tejo, ficará a aguardar as propostas dos investidores interessados no projeto, sendo que, para já, e segundo a administração da empresa, ainda é difícil falar em datas para o arranque oficial das obras requalificação dos antigos estaleiros da Lisnave.

Partilhar