NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras revelam que grande parte dos vistos gold são para comprar bens imóveis.

O investimento captado através dos vistos gold caiu 17,8% em abril, quando comparados com o período homólogo do ano passado, fixando-se nos 52,2 milhões de euros.

 

A notícia foi avançada pela Lusa com base em estatísticas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e revela ainda que, relativamente ao mês de março deste ano - altura em que o investimento proveniente de autorização de residência para atividade de investimento (ARI), vulgarmente conhecido como visto gold, superou os 48 milhões de euros -, verifica-se um crescimento de 8%.

 

A atribuição dos vistos gold mediante o crédito de aquisição de bens perfaz a maior parte do investimento angariado no mês passado (49 088 163,23 euros). O restante valor (3,2 milhões de euros) é referente ao requisito da transferência de capitais, avança a Lusa.

 

No mês de abril foram atribuídos 92 ARI, sendo 89 deles resultado da compra de bens e imóveis e três de transferência de capital, avança ainda a agência de comunicação.

 

Desde a sua criação, em outubro de 2012, o SEF revela que já decorreu - até ao final do mês passado - um investimento total de 4 498 944 955,86 euros, sendo 425 882 392,40 referentes à transferência por capitais e 4 073 062 563,43 à aquisição de bens imóveis.

 

O documento divulgado pelo SEF avança que as nacionalidades com maior atribuição de vistos gold são a China (4211), Brasil (722), Turquia (336), África do Sul (291) e ainda Rússia (258).

 

Já a atribuição tem tido oscilações ao longo dos anos: dois em 2012, 494 em 2013, 1526 em 2014, 766 em 2015, 1414 em 2016, 1351 em 2017, 1409 em 2018 e 421 em 2019. Ou seja, no total foram atribuídas 7383 ARI em oito anos.

 

O número relativo às autorizações de residência a familiares reagrupados é maior: 12 581 em oito anos.

 

A nota do SEF revela ainda que até ao mês passado foram atribuídos 6968 ARI por via de requisito da aquisição de bens imóveis. Já por via do requisito de transferência de capitais, o número chegou aos 400. Por via do requisito da criação de pelo menos dez postos de trabalho foram atribuídos 15 ARI.

 

Investimento chinês caiu

 

Recorde-se que, segundo dados do SEF divulgados na semana passada, o investimento chinês captado pelos vistos gold recuou 37% nos primeiros quatro meses do ano, face ao período homólogo do ano passado, para os 75,7 milhões de euros.

 

Entre janeiro e abril foram atribuídas 138 autorizações de residência para atividade de investimento a cidadãos de origem chinesa.

 

Segundo os dados do SEF, citados pela agência Lusa, o investimento vindo do Brasil através destes vistos também sofreu uma queda de 7,3% nos primeiros meses do ano, para 50,5 milhões de euros. Foram atribuídas um total de 69 ARI.

 

O mesmo cenário se aplica ao investimento de origem turca, que recuou 59,6% para 21 milhões de euros. Até abril tinham sido concedidos 41 vistos gold.

Partilhar