NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A indústria têxtil portuguesa consagrou no Modtissimo a imagem de indústria responsável e cumpridora e que é cada vez mais procurada pelas grandes marcas de moda europeia e internacional. Alemanha, Holanda, Rússia e Espanha foram as delegações mais representadas, mas há também já o registo de visitantes dos Estados Unidos e do Extremo Oriente.

Na nota de balanço, a organização sublinha ainda que nos dois dias em que ocuparam 4.500 m2 de exposição, as 297 coleções apresentadas receberam a visita de 525 compradores internacionais e 6.331 nacionais.

 

Exemplo dessa procura internacional é a empresa japonesa Takihya, que trouxe ao Aeroporto do Porto uma comitiva de vários compradores. “Estivemos na Première Vision Paris e na Milano Unica e agora fechamos a época de prospecção aqui no Porto. Apesar da feira não ter a mesma dimensão, a qualidade dos tecidos, dos acabamentos e do fitting é muito boa entre os expositores portugueses”, salienta Taishi Nakagawa, comprador da Takihya, que procura em Portugal fornecedores de tecidos para colecções de moda.

 

“O Modtissimo tem hoje uma ligação muito forte com as plataformas internacionais. É o encontro bianual da indústria portuguesa mas tem um leque de geografias cada vez mais abrangentes”, diz Manuel Serrão, CEO da Associação Selectiva Moda, organizadora do evento.

 

Miguel Porfírio, delegado da AICEP na Holanda, salienta também “uma mudança de paradigma” que destaca naquele que é o mais antigo salão têxtil da península Ibérica. “O passa-palavra é muito importante e há cada vez mais empresas que nos contactam a pedirem informações sobre o Modtissimo. Hoje em dia são elas que tomam a iniciativa”, explica.

 

Fornecedores de tecidos e confeccionadores em Private Label são o que os compradores europeus mais procuraram. “Portugal é líder no green trade, na produção ecológica, e as marcas europeias vêm nos produtores portugueses um elevado nível de confiança e flexibilidade”, afirma Carlos Figueiras, quadro da AICEP na Alemanha. “Quando chegam, a primeira coisa que perguntam é pelas certificações ambientais, como a GOTS”, acrescenta Miguel Porfírio.

 

Com a inovação e a produção responsável como pano de fundo, a organização destaca também o Fashion Fórum com uma das grandes novidades desta edição do Modtissimo, uma nova área que reuniu tendências de tecidos, moda infantil e um espaço de lifestyle desenvolvido pela marca portuguesa de decoração Antarte.

 

“Os fóruns chamam sempre muita gente e, por essa razão, decidimos reunir a maioria dos fóruns no mesmo espaço”, justificou Rute Madureira da equipa de organização. O Fashion Fórum reuniu o fórum criança, onde nove marcas nacionais do universo infantil presentes na feira expuseram um dos seus best sellers, bem como pelos fórum Exhibitor Selection e Sustainable Future desenvolvidos pela designer Dolores Gouveia.

 

Do fórum Exhibitor Selection constaram quatro sub setores – Sensitive &Fluid, Soft & Minimal, Sensual & Exotic e Simple & Nostalgic – que integram produtos das mais de 60 empresas de tecidos a expor nesta edição do MODtissimo. Já para o fórum Sustainable Future, Dolores Gouveia selecionou artigos de empresas presentes no salão que respeitem os princípios da circularidade e da responsabilidade ambiental.

 

O próximo Modtissimo já tem datas: 22 e 23 de Setembro regressa ao edifício da Alfândega do Porto.

Partilhar