NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Banco de Portugal contabilizou até ao fim de Maio mais 72,69 milhões de euros de gastos em Portugal de turistas residentes nos Estados Unidos que assim foram os que fizeram o maior aumento do período, à frente dos residentes em Espanha e no Reino Unido, ambos com aumentos na ordem dos 61 milhões de euros.

De acordo com os dados do banco central recolhidos pelo PressTUR, os turistas residentes nos Estados Unidos, que são também, de acordo com os dados do INE, os que estão com maior aumento de dormidas no alojamento turístico português, com mais 142,1 mil (+20,8%, para 825,4 mil), despenderam em Portugal 354,42 milhões de euros entre Janeiro e Maio, tendo representado assim 6,1% do total de receitas turísticas do país, mais um ponto que no período homólogo de 2018.

 

O segundo maior aumento de gastos turísticos em Portugal, a seguir ao dos residentes nos Estados Unidos, foi o dos residentes em Espanha, com mais 61,61 milhões (+8,9%, para 753,59 milhões), e em terceiro lugar esteve o aumento de gastos dos turistas residentes no Reino Unido, com mais 61,05 milhões (+6,8%, para 955,52 milhões).

 

Seguiram-se os aumentos de gastos de residentes no Brasil, no montante de 30,49 milhões de euros (+11,9%, para 286,50 milhões), em Itália, com mais 25,64 milhões (+20,7%, para 149,26 milhões), na Irlanda, com mais 11,03 milhões (+8,5%, para 140,42 milhões), na Bélgica, com mais 8,09 milhões (+5,4%, para 158,49 milhões), no Luxemburgo, com mais 3,61 milhões (+5,1%, para 75,07 milhões), e na Holanda, com mais 2,79 milhões (+1,2%, para 234,61 milhões).

Partilhar