NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Num período marcado pelas condicionantes impostas pelo combate à pandemia do novo coronavírus, o consumo global em Portugal sofreu uma quebra de 9%. As operações com cartões bancários internacionais registaram uma quebra de 48% face a 2019, tendo sido o consumo português, com uma redução de apenas 3%, aquele que contribuiu para travar a queda no consumo global nacional, segundo a mais recente análise da SIBS, divulgada esta segunda-feira.

Os dados apresentados revelam um novo perfil de turista nacional através da análise da variação do consumo nas regiões portuguesas face ao período homólogo. No verão de 2020 houve um maior consumo nas regiões do interior de Portugal do que no litoral. Considerando o valor das operações por região face a 2019, destaca-se a variação do valor das operações em Manteigas (34%), Terras de Bouro (16%), Porto Santo (5%) e Grândola (3%).

 

Já as regiões tradicionalmente mais procuradas pelos turistas no verão registaram, este ano, quebras nas operações: Lisboa (-32%), Porto (-23%) e Algarve (-15%).

 

Entre os dados do SIBS Analytics destaca-se ainda o aumento do valor das compras dos portugueses no setor do alojamento turístico, com mais 25% de compras físicas realizadas por cartões nacionais em alojamento face ao período homólogo. Se se considerar também os cartões estrangeiros , a quebra global situa-se nos 41%.

 

Apesar do peso do valor das operações com cartões estrangeiros em Portugal ter diminuído em ~5 pontos percentuais para 7%, o top de países com maior valor das operações manteve-se inalterado face a 2019, com destaque para a maior redução nos cartões dos EUA com -78% e do Reino Unido com – 52%, demonstrando o maior impacto na redução de tráfego aéreo oriundo destes países. Os países com maior proximidade – Espanha, França e Alemanha – tiveram reduções entre os -30 a -35%.

 

“O verão de 2020 trouxe alterações relevantes nos padrões de consumo de portugueses e estrangeiros. Nenhuma evolução pode ser dissociada do contexto sem precedentes que vivemos de combate à COVID-19. O consumo dos portugueses atenuou a quebra global do consumo neste verão mas foi insuficiente para compensar a redução de 48% de consumo de cartões estrangeiros em Portugal”, explica Gonçalo Amaro, Diretor de Digital & Ecommerce da SIBS.

 

“Os dados do SIBS Analytics revelam que o turismo tem sido um dos setores mais afetados pela evolução da pandemia mas existem casos positivos de crescimento das operações em regiões com menos concentração populacional e que tiveram maior procura de turistas nacionais como Grândola, a Serra da Estrela, o PN Peneda Gerês ou a ilha de Porto Santo. Pelo contrário, as principais regiões do litoral como Lisboa, Porto e o Algarve foram bastante impactadas pela redução do turismo internacional ”, acrescenta.

Partilhar